Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

18
Mai08

Alberto João

condutoras de domingo

Hoje em dia, os jornalistas são como os bombeiros: são chamados a tudo. Desta vez foi Alberto João Jardim que os chamou mas, curiosamente, não fez declarações incendiárias. Acabou apenas com o suspense – se é que verdadeiramente o havia - em torno de uma possível candidatura à liderança do PSD. O presidente do PSD-Madeira já antes tinha admitido que não tinha «tropas» no continente para avançar. E numa linguagem militar que continua a dominar o seu discurso, afirmou agora que não vai entrar neste combate político porque «há passos que só se dão pela certa, e muito menos se dão quando o terreno está armadilhado». A declaração, claro está, não é de um louco, mas de um veterano de guerra. Alguém que sabe atirar granadas de mão e proteger-se do estouro. Por isso veio também manifestar o seu apoio a Pedro Santana Lopes, habituado como ninguém a levar morteirada.

18
Mai08

Saramago

condutoras de domingo

Quem estranhamente não teve direito a prémio nos Globos de Ouro foi Saramago. Mas, em compensação, esteve presente noutro Festival. Se em terra de cegos que tem um olho é rei, em Cannes quem tem um filme sobre cegos, é... uma estrela! Assim mesmo! O filme Blindness, uma adaptação para cinema do livro Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago, abriu a competição deste ano pelo prestigiado troféu da Palma de Ouro. O filme, do realizador Fernando Meirelles, tem a difícil tarefa de transpor para a tela o universo apocalíptico do livro, em que uma comunidade é atingida, de forma súbita e inexplicável, por uma cegueira. Faz lembrar a história do PSD, é verdade. Mas faz lembrar também o filme Branca de Neve, onde João César Monteiro tinha tentado mais ou menos a mesma coisa. Mas enquanto a cegueira que atinge as personagens do livro de Saramago é branca, a de João César Monteiro era negra, só atingia o espectador, demorava cerca de 75 minutos e mais... servia-lhe de emenda! Ao que parece, o realizador brasileiro, autor de «A Cidade de Deus», fez várias versões diferentes de Blindness, para tentar chegar ao melhor resultado. Agora se o argumento é português e fala sobre cegueira, o filme merecia umas filmagenzinhas em Cuba de uns velhinhos a serem operados às cataratas.

18
Mai08

Fumo a Bordo

condutoras de domingo

 Parece impossível mas desta vez foi Sócrates e não Hugo Chavez quem deu que falar. E para os portugueses ficou claro que ninguém está acima da lei, nem mesmo quando voa a 17 000 pés de altitude. A polémica estoirou quando se soube que o Primeiro-ministro fumou no voo da TAP que transportou a comitiva governamental à Venezuela, para uma visita de Estado. Como não foi anunciada nenhuma grande decisão, digamos... a eleição de um novo Papa ou uma descida dos impostos, não havia mesmo forma de justificar a existência de fumo a bordo. A oposição, que em terra se vê sempre aflita para arranjar argumentos consistentes, agarrou-se logo à notícia e acusou José Sócrates de violar a lei do tabaco e de dar um mau exemplo ao país. A julgar pelo tom de alguns comentários, o fumo do cigarro de Sócrates era parecido como a muralha da China, isto é, podia ser visto a partir do espaço. Mas para dissipar a polémica, Sócrates resolveu deixar o vício e pediu desculpa aos portugueses, admitindo ter fumado juntamente com o Ministro da Economia, esse transgressor inveterado. Mas disse também que não sabia que estava a infringir a lei! É uma mancha feia essa... e daquelas que custam a limpar. Sócrates arranjou assim o melhor incentivo de todos para deixar de fumar: ter 10 milhões de portugueses a vigiá-lo. Um plano destes não tem como falhar, é melhor que aqueles anúncios do Diogo Infante.

11
Mai08

Gemma Garrett

condutoras de domingo

Se compararmos Portugal e Inglaterra – mesmo não estando a falar do caso Maddie – só podemos chegar à conclusão de que são realmente dois países muito diferentes. Se ainda pelo discurso do 25 de Abril, Cavaco Silva alertava para o desinteresse dos jovens portugueses em relação à política, eis que do Reino Unido nos chega um exemplo fresquinho de alguém para quem a carreira política assumiu um súbito interesse. Gemma Garrett, loira de 26 anos e Miss Grã-Bretanha 2008, anunciou que vai candidatar-se a deputada, pelo recém-formado partido Beauties for Britain, nome que, em português, dá qualquer coisa como «Beldades pela Grã-Bretanha». Para mais, e ao contrário da generalidade dos candidatos à liderança do PSD, Gemma tem mesmo um programa político. E desenganem-se aqueles que pensam que esse programa se resume ao desejo de paz no mundo, tão característico das misses. O verdadeiro intuito desta rainha de beleza é, nada mais nada menos, que: “tornar a política britânica numa coisa sexy”. Se em Portugal se resolve seguir esta orientação política, Manuela Ferreira Leite, rainha da credibilidade e também das rugas não terá grandes hipóteses.
Gemma Garrett foi também autora de uma das frases mais interessantes da semana. Numa entrevista ao Daily Star desabafou, sem esconder desapontamento: “ouvi dizer que o Cristiano Ronaldo ficou interessado depois de ver algumas fotografias minhas, mas agora ele tem uma nova namorada”. É de facto o género de coisa que esperamos da parte duma deputada. Ana Drago celebrizou-se por isso. Enviava fotografias para o balneário do Sporting e dizia que o Miguel Veloso tinha adorado, e ainda ia largar “aquela Bruna”. A Miss Inglesa pode tirar o cavalinho da chuva, porque por agora Cristiano Ronaldo está demasiado ocupado. Anda a dar novas interpretações aos provérbios. O famoso “dar pérolas a porcos” passa agora a ser “dar diamantes a Nereida”. E também Mercedes de 35 mil euros. Mas, há que dizê-lo, isto corresponde a um quarto do salário semanal do craque. Portanto equivale a uma caixa de bombons, dada por um funcionário público.
 

11
Mai08

A Tempo e Horas

condutoras de domingo

Embora na altura tenham causado grande polémica, compreendem-se agora melhor as declarações de Alberto João Jardim que, há não muito tempo atrás, classificava os deputados da oposição como um «bando de loucos». Esta semana, o deputado único do PND-Madeira, José Manuel Coelho, apresentou-se no parlamento regional com um relógio de parede de cozinha pendurado ao pescoço. Esta toilette de gosto duvidoso serviu, não para anunciar as tendências da próxima estação, mas para protestar contra os escassos dois minutos de intervenção, concedidos aos pequenos partidos. Ou porque ficaram indignados – ou, dizemos nós, porque aquele relógio lhes lembrou a tão desejada hora do almoço – muitos deputados abandonaram o hemiciclo. Se a moda pega, é de esperar todo um novo código de comunicação parlamentar, baseado na riquíssima linguagem dos utensílios de cozinha. Os deputados poderiam exibir, assim, a partir das suas bancadas, um rolo de cozinha, por exemplo, para protestar contra a burocracia no funcionamento das instituições ou, quem sabe, um abre-latas, para sugerir a dificuldade de abertura a... novas ideias!

11
Mai08

Alexandra Lencastre Vs. Margarida Marinho

condutoras de domingo

O que é que Alexandra Lencastre e Margarida Marinho têm em comum além de terem as duas caras de quem está sempre “pronta para a brincadeira”? As duas andam de candeias às avessas. Margarida Marinho terá pedido um aumento de salário á TVI dado que a telenovela em que é protagonista “A outra” superou as audiências da telenovela “Fascínios” onde Alexandra Lencastre é a protagonista. Mas por mais que Margarida pedinche, a Alexandra é a menina bonita da TVI com direito a carro particular com motorista e 12 mil euros por mês na sua conta. Aparentemente as duas estão de costas voltadas por dinheiro e estatuto, certo? Errado! A verdadeira história dava uma telenovela para a TVI. Andam os argumentistas a darem voltas à carola para arranjarem irmãs gémeas separadas à nascença e irmãos que se apaixonam, quando o mais fácil era vasculharem a vida passada das actrizes e descobrirem histórias como esta. Há 20 anos atrás Margarida Marinho e Alexandra Lencastre contracenaram numa peça de teatro e ambas caíram de amores pelo encenador. Margarida Marinho ganhou esta disputa e casou com o encenador deixando Alexandra Lencastre a “ver navios”. Anos mais tarde, Margarida Marinho e o encenador divorciaram-se e Alexandra Lencastre tentou a sua hipótese, mas foi preterida pela sua melhor amiga, Rita Blanco. Anos mais tarde Rita Blanco e o encenador divorciaram-se e agora ninguém fala sobre o assunto. Fantástica, não é? Esta história fez-nos lembrar o que aconteceu com Angelina Jolie e Jennifer Aniston. Duas belas mulheres a disputarem o mesmo homem. Se bem que o homem em causa é bem diferente. Um é o Brad Pitt e o outro é o João Canijo…

11
Mai08

A Mais Feia

condutoras de domingo

A problemática e talentosa Amy Winehouse foi votada a celebridade mais feia da música, numa lista de 22 candidatos que incluía nomes como o guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards e o varredor de ruas mais fotografado do mundo, Boy George. As condutoras não vão “bater” mais na Amy Winehouse. Já bastam os tablóides de todo o mundo. Nós sabemos que a rapariga é amiga da sua pinguinha e da sua snifadela mas desde que nos continue a brindar com as suas músicas está perdoada. O que chamou a atenção às condutoras nesta notícia foi o facto de uma semana antes, Amy Winehouse ter entrado na lista dos músicos mais ricos do mundo. O que nos fez pensar que há uma ligação qualquer entre riqueza e feiura. E não precisamos de ir muito longe. Reparem num dos homens mais ricos de Portugal: Joe Berardo. E as pessoas que são ricas e bonitas, só são bonitas porque têm dinheiro para disfarçar a sua feiura. Imaginem a Cher sem plásticas…Mas claro que há sempre excepções à regra como a Scarllet Johansson que além de ser linda e rica, é talentosa e tudo o mais de bom. Mas as condutoras reafirmam a sua teoria da relação entre riqueza e feiura. E é algo que já deve vir da antiga nobreza. Senão como é que alguém consegue explicar o Dom Duarte de Bragança??

 

 

11
Mai08

Adeus Alípio

condutoras de domingo

Nos dias que correm, há um procedimento que não figura no código do trabalho, mas que se está a generalizar de forma assustadora: quando se trata de abandonar um cargo, em vez de se redigir uma carta de demissão, dá-se uma entrevista a um jornal. Alípio Ribeiro, que já por diversas vezes enfiou o pé na argola com declarações precipitadas, veio esta semana defender, numa entrevista ao Diário Económico, uma mudança de tutela na PJ. A instituição até entendeu que devia mudar, sim senhora, mas de... director. Foi assim que Alípio Ribeiro saltou fora, um ano antes de terminar o mandato. A Polícia Judiciária está assim cada vez mais parecida com um clube de futebol, uma vez que já não espera até ao final da época para mudar de treinador. Para o lugar de Director entrou agora Almeida Rodrigues, classificado como «um homem da casa», o que é um dado, no mínimo, inquietante. É que, por norma, «homem da casa» designa alguém que se arrasta de chinelos e camisa de alças pelo corredor, com uma cerveja numa mão e um comando de televisão na outra.

04
Mai08

Pamela vs Poeiras

condutoras de domingo

Atiraram poeiras para os olhos de Iva Domingues, anteriormente conhecida como Iva Pamela. A apresentadora foi “aos arames” mal soube não ser a escolhida para colmatar as férias de Júlia Pinheiro, no programa, As Tardes da Júlia, da TVI. Foi Leonor Poeiras a escolhida para conduzir o formato líder de audiências da tarde, entre 28 de Abril e 1 de Maio. Iva Domingues, que divide o Quem quer ganha com a “rival”, terá desabafado a alto e a bom som que “era uma opção válida e merecia esta oportunidade”, uma vez que reclama há muito tempo, um protagonismo maior na estação liderada por José Eduardo Moniz. Ninguém diz que a Iva seja uma má profissional. É gira, é divertida, é simpática, mas a realidade é que lhe falta uma qualidade muito importante para apresentar talk shows: um pouco de rafeirice, mas rafeirice no bom sentido! Não é toda a gente que elogia os tomates da horta urbana do Senhor Tobias ou que arranje dentes novos para a Dona Gertrudes, com tanta naturalidade como a Júlia Pinheiro. E não é á toa que da primeira vez que Júlia foi de férias, a escolhida para a substituir foi a saloia com muito orgulho e fã de um bom chouriço, a futura mamã Cristina Ferreira. Mas como esta não estava disponível, optaram pela Leonor Poeiras que apesar de não ter muita rafeirice inerente, tem um problema comum a Júlia Pinheiro: o facto de se esquecerem que usam microfone e a voz aguda! E apresentar As tardes da Júlia não é assim tão simples. Tem de se saber ensinar às velhotas do publico a bater palmas ao ritmo do numero de telefone que dá prémios e fazer sons à homem das cavernas que a Júlia chama de yoga do riso. Por isso cara Iva, não fique triste!

04
Mai08

Chiado Terrace em Moscavide

condutoras de domingo

Esta semana, houve quem pensasse que o Fantasporto se tinha transferido para Moscavide. É certo que o filme, de produção nacional, não dispunha de grande orçamento: os cenários eram fraquinhos, os actores não deram propriamente a cara mas, sim, porrada e até só houve um espectador! Mas o resultado final foi parecido e conseguiu, à mesma, acagaçar muita gente. Reparem só na categoria deste argumento: num domingo à tarde, um grupo de homens invade uma pacata esquadra da PSP e agride um rapaz que ali se desloca, justamente, para apresentar uma queixa contra eles. O agente de serviço, completamente sozinho, mais não pode fazer que assistir à agressão e pedir a Deus para não apanhar também. Apesar da inegável qualidade, há um aspecto negativo, que não podemos deixar de apontar: a manifesta falta de educação dos agressores que, fazendo uma visita à esquadra a um domingo, nem sequer se sentaram um bocado, nem quiseram tomar um cafezinho, e nem perguntaram ao polícia «Essa saúde?». Mas enfim... é o país que temos! E depois, gostamos sempre de ver um final feliz! Repare-se como depois de ter sido agredido, o rapaz se deixou de fitas e já nem quis apresentar queixa! Ora a isto se chama desburocratização dos serviços! Nada mais nada menos que o Simplex, aplicado às esquadras de polícia. Mas este episódio permitiu ainda perceber as semelhanças entre duas profissões: a de polícia e a de professor. Se repararem, numa escola também só temos um agente da educação numa sala, para 30 marmanjos mal-encarados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D