Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

24
Fev08

Agarrado ao Pára-Choques - O Couvert

condutoras de domingo
A Associação Portuguesa de Direito do Consumo lançou esta semana um alerta capaz de mudar, para melhor, a vida de centenas de portugueses. Qualquer consumidor pode recusar-se a pagar o couvert nos restaurantes, mesmo que o tenha comido. Finalmente percebemos que a mais velha, e pior, piada de sempre tem fundamento! Aquela cena feita e refeita 100 vezes pelos Malucos do Riso, naquele cenário de marisqueira. Eu não queria mas… Vou contar. O empregado quer cobrar a um casal 1€ pelo pão, que eles não comeram. E diz-lhes: “não comeram porque não quiseram, que ele estava em cima da mesa”. Ao que o senhor responde: “então deve-me 50€ por ter apalpado a minha mulher”. O empregado nega tudo, mas o homem diz: “não apalpou porque não quis, ela sempre esteve aqui”. E pronto. Depois disto o quê? Aqueles olhos a sair das órbitas à la Malucos do Riso, gargalhadas enlatadas, alguma náusea por parte do espectador e … nada. O assunto caía sempre no esquecimento. Nunca foi tratado com a seriedade merecida. Mas chegam agora os Defensores do Consumidor para nos salvar. A questão resume-se a isto: o que não pedimos, não temos de pagar.

Ora se em cima da mesa já estão pães, tostas, manteigas, patês, queijos de Nisa, presunto serrano e pastéis de bacalhau, isto são ofertas da casa. Se lá estiver também um bonito candelabro, quatro bases para copos, um saleiro, um pimenteiro, um centro de mesa, pratos e talheres, podemos sentir-nos à vontade para levar. Nós não pedimos a ninguém para trazer a toalha, nem os guardanapos, nem mesmo a cadeira onde nos sentamos por isso… Se quiseram oferecer, sujeitam-se à nossa livre – e correcta – interpretação da lei. Acho que podemos até começar a ir jantar fora e ficar só pelo couvert. Depois do pãozinho levantamo-nos, agradecemos (porque é de bom tom) e saímos. Segundo a lei, “o consumidor não fica obrigado ao pagamento de bens ou serviços que não tenha prévia e expressamente encomendado ou solicitado”. Acho que isto deve estender-se a outras áreas de actividade. Por ex: no hipermercado nós não pedimos nada. Se aquelas coisas estão ali todas ao alcance da mão é porque podemos trazer. O mesmo quando vamos ao médico. Tirando as pessoas mais dramáticas, que se ajoelham e suplicam “doutor, cure-me por favor!”, nós vamos simplesmente ouvir o que têm para dizer. Não solicitamos nada. E o mesmo se passa com as portagens, ou os parques de estacionamento. Eu nunca pedi a ninguém que me fizesse parar no meio da auto-estrada, ou que me deixasse parar o carro entre dois tracinhos. Não encomendei o serviço, não tenho de o pagar. “Não há almoços grátis” é uma frase que passou à história a partir deste momento!

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D