Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

14
Out07

Tão Mau Que É Bom - Clara Pinto Correia RAP

condutoras de domingo

O conflito de gerações existe já há muito tempo e já todos nós sentimos os seus sinais numa altura ou noutra. Normalmente, vêm em forma de um “esta juventude está perdida” ou de um “isto agora é só modernices” ou mesmo “no meu tempo é que era”. Pequenos desabafos e resmunguices.
Agora imaginem uma destas resmunguices ao longo de uma hora. Sempre a rimar. Em rap. E pela voz desse vulto do hip hop nacional que é... Clara Pinto Correia. O resultado final está no Jardim de Inverno do São Luiz e chama-se “O Som do Rap”. Do espectáculo faz também parte um Sócrates Napoleão. O nome sugere o de um animal de estimação dividido entre dois donos que não conseguiram atingir o consenso num só nome, mas desenganem-se. Sócrates Napoleão é músico, uma espécie de Cateano Veloso dos pobres. E é razoavelmente giro e exótico. O que vamos a ver, explica muita coisa. Até porque o homem nem rappa. Esse ritual, honra lhe seja feita, cabe apenas a Clara Pinto Correia, também autora da letra que discorre durante uma hora. O rap versa sobre o tal conflito de gerações. Sobre todo um mundo que os mais pequenitos desconhecem, encafuados que estão em modernices como a Internet ou a Dica da Semana. Há que lhes abrir os olhos. E para chegar aos olhos fazemos um atalho pelos ouvidos, também eles confusos com versos deste calibre:
Como não é possível recolher sons nos espectáculos, vai mesmo assim:


“Só frequentas os bares
Que não tiram a gravata
O teu piano não bebe
A tua pila não fuma
Tu não inalaste haxixe
Numa banheira de espuma
Nem disseste que se lixe
Tens jantes de liga leve
O GPS é para Telheiras
Nunca provaste as alheiras
Da velha da Casamata”


Ainda estamos confusas com a imagem mental de uma pila a fumar um cigarrinho quando levamos com aquela que é uma rima que nem o Quim Barreiros teria coragem de tentar: “Telheiras” e “alheiras”. Subúrbios e enchidos, aqui está a combinação que faltava à música portuguesa. E finalmente alguém usa o rap para denunciar que as novas gerações não andam a comer a carne de aves envolta em tripa e banha que lhes compete. Devem andar todos só a enfardar os Suissinhos que a Floribella lhes impinge nos anúncios, os pulhas!
Os Da Weasel deviam era aprender umas coisas com a Clara. E experimentar um... “olá nina, quero cuidar de ti/ ir ao Cacém comer moelas e pipi”. Hum?
Este... “espectáculo”, digamos assim, tema duração de uma hora, como dissemos.
E é uma hora onde a dúvida que mais nos assola o espírito é, exactamente, “está a falar do quê”??

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D