as condutoras
Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.
escreva-nos para
condutoras@programas.rdp.pt
podcast
Ouça os programas aqui
percursos recentes

Condutoras de Domingo

Ricardo Aibéo

No Auto-Rádio a 29 de Jun...

Sinais de Luzes - 29 de J...

Deviam Fazer Anos

Estação de Serviço - Pisc...

Heelarious

Choque Frontal - Vale e A...

Horóscopo - Gordos

Está a Falar de Quê? - Ma...

Tão Mau Que é Bom - Luís ...

De Encontro ao Pára-Brisa...

Touros

O Que é Nacional é Bonzin...

viagens antigas

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Domingo, 24 de Fevereiro de 2008
O que é Nacional é Bonzinho - Droga na PJ
Nós já sabíamos que Portugal é um país pequeno, onde famílias inteiras se amontoam em pequenos T2s e T1s, onde as estradas são poucas e apertadas para tantos carros, onde os deputados da Assembleia da República se sentam tão coladinhos uns aos outros que nem se percebe a diferença de bancada para bancada, em suma, um país onde há uma enorme falta de espaço. O que nós não sabíamos é que este problema também atinge, há cerca de duas décadas, os cofres da Polícia Judiciária. Ou devo dizer as caves? Talvez, tendo em conta que é lá que se acumulam, há coisa de 20 anos, doses de droga capazes de pôr 10 milhões de portugueses “em altas”. A culpa parece ser dos tribunais que têm que dar ordem de destruição das centenas de quilos de estupefacientes abandonados no cofre da Direcção Central de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes da PJ, na Avenida Duque de Loulé, em Lisboa, aqui tão perto. Ora, isto leva-me a pensar que os juízes estão convencidos de que a droga é como o vinho: bem armazenado, numa sala escura, fica ainda melhor. Neste momento, alguém deve estar a pensar «Uhmm... Que bela festa vai ser aquela, com direito a uma boa dose de Cannabis Reserva Quinta da PJ Colheita 1988». Mas desiludam-se, caros magistrados, a droga estraga-se, seca, altera-se. Por isso, e tendo em conta que a nossa atitude ecológica e verde nos obriga a lutar contra todo e qualquer tipo de desperdício, recomendamos o seguinte aos funcionários da PJ que já não sabem onde armazenar as várias toneladas de estupefacientes que recebem anualmente: rapazes, das duas uma, ou organizam uma mega-festa de droga vintage que, certamente e se tiverem por aí muita coca, é capaz de se tornar no evento mais bem frequentado, concorrido e badalado de sempre na História da Borga Nacional, ou, se acreditarem no chamado efeito placebo, vão por este país fora, de sala de chuto em sala de chuto, distribuir saquinhos pelos toxicodependentes. A escolha é difícil, eu sei, nunca se deve propor como alternativa ao bem comum o lazer desenfreado, mas qualquer das hipóteses demonstraria que a PJ não está nada paralisada e que até faz mais do que os serviços mínimos garantidos, ao contrário do que anda para aí a dizer o investigador criminal Carlos Anjo. Se nada disto funcionar e tiverem mesmo que esperar pelas ordens do tribunal, o meu conselho não pode deixar de ser dado aos ouvintes, visto que a PJ terá mesmo que aguardar. Caro ouvinte, de agora em diante, ponha o ouvido à escuta, esteja atento, informe-se, tente descobrir onde e quando vai ser incinerada esta dose cavalar de droga e, assim sem mais, sem gastos, sem preocupações, sem a polícia à perna, apanhe a moca da sua vida.


publicado por condutoras de domingo às 11:12
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

pesquisar neste blog
 
links
subscrever feeds
tags

todas as tags

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30
31


blogs SAPO