Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

10
Fev08

Sinais de Luzes - 10 de Janeiro

condutoras de domingo

Mínimos

Para Ben Affleck. Nós, como já se sabe, não somos de intrigas. Mas temos de concordar que é demasiada coincidência que o enredo do novo filme de Ben Affleck seja o decalque da história de Maddie McCann! E sobretudo que tenha sido filmado antes da criança desaparecer. Nós achávamos que estávamos perante o maior caso policial português. Percebemos agora que estamos perante a melhor estratégia de marketing à escala mundial. Ben Affleck planeou tudo. Ele é muito mais poderoso do que podíamos supor. Quem o viu no Armageddon e no Pearl Harbor nunca imaginaria que há uma inteligência escondida por trás da cara de “Um Pai à Maneira”. Depois de anos a fingir que era a actor, Ben está dedicado a fingir que é realizador. Olhando apenas para o título do filme podíamos pensar que o bom e velho Ben está na mesma. É que Gone Baby Gone faz lembrar perigosamente uma música do Brian Adams. Mas Affleck está mais refinado que nunca. Não tanto a escolher planos e ângulos, mas sim a convencer pessoas. Convenceu o seu irmão, actor muito mais convincente, a entrar no filme, convenceu Morgan Freeman a fazer uma perninha também, convenceu a academia a nomear Amy Ryan para melhor actriz secundária… E parece-nos que vai ter de convencer a polícia de que não foi mesmo ele a raptar Maddie. Raptar não, é uma palavra muito forte. Convencer Maddie a abandonar o apartamento na Praia da Luz e ir conhecer Hollywood.

Médios
Para o Dança Comigo. Numa época em que todos os dias fecham licenciaturas, o programa da RTP vai oferecer bolsas de estudo. Para quê? Para jovens bailarinos dos 14 aos 16 anos poderem ir para Londres. Faz sentido. Com a quantidade de licenciados desempregados que existem em Portugal o mais certo é que a única profissão de futuro no nosso país seja membro de corpo de baile. Basta ver televisão para saber isso. E nós ainda na terça-feira vimos, em horário nobre, o espectáculo “Gelosia”, coreografado pelo Marco de Camillis e com belos cançonetistas a acompanhar. O termo é mesmo este: cançonetistas, porque parecia que tínhamos recuado, por algumas horas, aos primórdios da Televisão Pública. Ou isso, ou que havia uma interferência terrível no nosso transmissor, que fez com que apanhássemos um serão da TV Caracas. Onde os espectáculos de variedades ainda são o expoente máximo da animação. Ao ver Marina Mota e Patrícia Bull a abanar as ancas no Gelosia, percebemos que o mundo está mesmo feito para eles. Não os actores, mas os Alunos de Apolo. Catarina Furtado, apresentadora do Dança Comigo, “namoradinha” de Portugal e, por este andar, futura ministra da Educação, diz que “o Dança é um programa que dá para juntar qualidade e divertimento sem ter de ir para coisas mais foleiras”. Então ela acha que fatos coleantes em dourado e saias com folhos roxos não são coisas foleiras! E é esta pessoa que tem nas mãos o futuro dos jovens portugueses? Está bem… Depois admirem-se de nunca virmos a ter um Nureyev ou um Barishnikov que seja!

Máximos
Para toda a gente que esta semana encaminhou para os seus contactos um e-mail a apelar ao voto em Lisboa. Não, não é uma nova campanha do Sá Fernandes. É votar em Lisboa para constar no tabuleiro do novo monopólio. World Edition, diz que é assim que se chama. Pois se tem nome estrangeiro nós queremos entrar! Tudo o que dê boa imagem ao país lá fora nós queremos muito. Sejam as 7 Maravilhas do Mundo ou Dakars que não chegam a arrancar. É uma espécie de operação estética a nível nacional. Já que os órgãos internos sofreram já danos irreversíveis, a malta investe em liftings e peelings na política externa. E as nossas relações com o exterior passam, nitidamente, pelo Monopólio. Quanto mais não seja porque as nossas trocas comerciais se fazem com notas daquelas de brincar, e grande parte dos jogadores passam a vida a ir para a Casa da Prisão. Este mail que nos chegou às mãos é um pedido desesperado. Diz assim: “Registem-se e votem por Lisboa. Podem votar todos os dias até à data limite da votação, por isso coloquem um reminder diário na V/ agenda. É simples, fácil e rápido. E temos que incluir uma cidade portuguesa neste jogo que fez a delícia da nossa infância!” Vamos por partes: 1º - reminder diário? Existem vidas assim tão vazias? Para que um afazer diário, depois do supermercado e do correio, seja ir votar no Monopólio? 2º - É mesmo necessário incluir uma cidade portuguesa no jogo? Seguindo essa lógica, os queijinhos do Trivial teriam de ser Queijos de Nisa, da Serra e de Azeitão. Mas pronto, colocar Lisboa no Monopólio é uma causa nobre. Parece-nos perfeitamente válido dedicar a vida a isso. Ou a isso, ou a incluir um Zé Silva no Quem é Quem, ou um moliceiro na Batalha Naval.
Por isso, vão aqui votar em Lisboa. Vá lá! Já que não conseguimos pôr o país no mapa, vamos ao menos pôr a cidade no tabuleiro. O que promete ser tarefa difícil, já que neste momento estamos em quadragésimo quarto lugar. À frente de Chicago, é certo. Mas demasiado perto de Kuala Lumpur.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D