Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

03
Fev08

Desfribiladores

condutoras de domingo
Já diziam as nossas avós que “de médico e de louco todos temos um pouco”. E é verdade. Não podemos ter um ataque de espirros, um treçolho ou uma infecção urinária sem que venha logo alguém aconselhar-nos medicamentos como quem aconselha “ouve o último dos Arcade Fire que está muita giro”. O que não falta por aí são bulas em forma de gente. E este fenómeno piorou ainda mais quando apareceu uma coisa bem mais fidedigna do que oito anos numa universidade a tirar medicina: as séries de médicos. Do “Dr. House” ao “ER”, da “Anatomia de Grey” ao “Scrubs”, todas estas séries deixaram-nos numa relação de tu-cá-tu-lá com doenças raras só possíveis de apanhar na África profunda se andarmos a rebolar sem roupa junto de espécies venenosas. Entre os objectos médicos que já vemos como quotidianos está o sempre popular e favorito da pequenada “desfibrilador”. Para quem não está assim de repente a ver, é aquela maquineta com um rectangulozinhos que dão choques. Esfrega-se o rectângulo um no outro, grita-se “clear!” e espeta-se com um bruto choque no peito do doente. Nas séries estão sempre a fazer isto, mesmo que o paciente se queixe de uma unha encravada. Portanto, qualquer um de nós tem a sensação de que conseguiria heroicamente salvar o dia com um desfibrilador. Qualquer um de nós? Bom, não é bem assim. Parece que os bombeiros não acham assim tão fácil. Há mais de cem desfibriladores parados nos quartéis de bombeiros, à espera que alguém queira brincar aos filmes com eles. E aqui as opiniões dividem-se: a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais reclama que deviam ter a formação e certificação necessários para usar os aparelhos, ao passo que o INEM assegura que os soldados da paz não têm nada de andar a brincar com aquilo porque é uma traquitana muito perigosa que, mal usada, até pode tirar a vida a uma pessoa. E enquanto a discussão não se decide os desfibriladores lá ficam a ganhar pó, a ser mais uma coisa a estorvar os quartéis, como caixas de slides de férias longínquas a empancar um sótão. O nosso conselho é que os bombeiros desistam de pedir ajuda ao INEM, vão ao Youtube ver uns vídeos do Dr. House e pratiquem num caloiro. Só não se esqueçam que é muito importante gritar “clear”. Assim mesmo, em estrangeiro.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D