Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

20
Jan08

O que é Nacional é Bonzinho - Expressões

condutoras de domingo
Nos últimos tempos, a Universidade Fernando Pessoa tem divulgado vários estudos sobre expressões faciais. É verdade. Expressões faciais, coisas de que nós, aqui na rádio, estamos protegidas. Os estudos são da responsabilidade do director do Laboratório de Expressão Facial da Emoção e debruçam-se sobre a descodificação das emoções que passam pelo rosto humano. Por exemplo, aqui há umas semanas, concluiu-se que, em 2007, «os jornais diários portugueses mostraram uma diminuição da frequência do sorriso relativamente ao período 2003-2006». Há uns dias, noutra investigação, descobriu-se que os bebés entre os 4 e os 8 meses não distinguem a alegria da cólera. Em relação ao primeiro estudo, não fiquei nada espantada. Acho-o até bastante óbvio e nem sequer precisei de analisar as 40 mil fotografias que passaram pelas mãos da equipa do Laboratório. É que, para além de os portugueses andarem pelas ruas da amargura (se têm dúvidas, vejam as reportagens dos telejornais da TVI), o Benfica joga cada vez pior. Isto, como é sabido, dá cabo da expressão facial de qualquer um ou, pelo menos, de cerca de 99% dos portugueses. Mas o que me intrigou mesmo foi a conclusão sobre os bebés. Que sorte danada a dos mini-petizes! Nós tanto podemos deitar-lhes a língua de fora e franzir-lhes o sobrolho como atirar-lhes com um rasgado sorriso de dentuça de fora que, para eles, é indiferente. Que magnífica superioridade a das criaturinhas! Só tenho pena é que esta capacidade seja sol de pouca dura, não só porque podia ser um contributo notável para o fim de todos os conflitos e, consequentemente, para a paz no mundo, mas também porque nos ia tornar imunes ao sorriso incandescente de Paulo Portas, homem integrado numa categoria de humanos que se encontra no mesmo escalão etário que os bebés referidos nesta investigação. Aliás, a mais importante conclusão deste estudo nada tem a ver com bebés que acabaram de ser expelidos do ventre materno, não; a mais importante conclusão é finalmente percebermos o que se passa com a classe política portuguesa. Os pobrezitos, afinal, têm entre 4 a 8 meses! Ou seja, não entendem o eleitorado! São imunes às expressões faciais dos portugueses, de quem os elegeu. E, com essa idade, lamento, mas não estão em condições de governar, não têm legitimidade. O golpe de Estado impõe-se. E recomendo a quem ainda tenha dúvidas, a quem resista a sair directamente de casa para a revolução por estar tão bem sentado no sofá a ouvir-nos na rádio, que experimente ver por umas horas o canal AR sem som e, assim que conseguir parar de rir, contribuindo para que em 2008 o sorriso volte a ser rei, me diga se há ali alguém capaz de entender as expressões de alguém.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D