Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

13
Jan08

Condução Defensiva - Leya

condutoras de domingo
2008 ainda mal começou. Para nós, pelo menos, que, cheias de esperança, nos fartámos de comer passas e pedir desejos. Só que nós somos gente que se passeia de carro ao Domingo, gente que respeita as tradições. No pólo oposto, encontramos os “outros”. São como os “the others” do Lost: dominam algures uma ilha habitada também por nós, mas que, no fundo, nos é inacessível. Esses “outros” são criaturas capazes de muitas contas de somar, que começaram o ano acelerando a fundo em direcção ao lucro numa qualquer nave espacial. Ou seja, foram directos ao assunto e transformaram esta primeira quinzena num motivo para disparar números e feitos que, na verdade, já tinham atingido no final de 2007. Isto costumava acontecer no mundo da política e do futebol; agora a megalomania abateu-se aos trambolhões sobre o mercado livreiro português. É natural. No país onde existe a mais inteligente livraria do mundo, estranho seria não haver um grupo editorial a atirar para o “gigantone”. Chama-se Leya e é uma espécie de império ilustrado com números: novos títulos são mil, milhões de euros são 90, editoras são 8, já para não falar do valor de um prémio literário a criar – 100 mil euros para um romance inédito. Nada mais perigoso! Num país onde proliferam mais depressa Margaridas Rebelos Pintos do que as próprias margaridas (as flores), qualquer pessoa capaz de redigir duas linhas sem lapsos gramaticais vai lançar-se de mergulho na bela aventura da escrita. Ora, isto pode gerar um mau ambiente terrível, tanto no plano ecológico, pelo enorme desperdício de papel e tinteiros, como no plano social: a próxima pessoa a receber o prémio Camões corre o risco de meter ao bolso a mesma quantia que um qualquer novato com imaginação e alma de passarinho. Porém, o mais preocupante reside na adolescente obsessão por números e tamanhos que encobre um vazio de ideias flagrante. Basta, aliás, perder um segundo para ouvir a justificação dada por um responsável da Leya relativamente à aposta nos livros escolares. O senhor não falou do facto de todos os miúdos em idade escolar terem que comprar manuais e, por isso, este ser um negócio de rentabilidade garantida, não; disse que a Leya quis dominar o mercado dos livros escolares «porque é na escola que se adquirem hábitos de leitura.» Ó meu amigo, se me falasse de livros dos Cinco e dos Sete, ainda passava, mas assim... Que criança adquire hábitos de leitura com manuais e livros de exercícios? E veio isto da mesma pessoa que, quando apresentou o grupo Leya aos jornalistas, a palavra que mais repetiu foi “crescer”. Quer-me parecer, a mim, que alguém se anda a esquecer de pôr fermento neste bolo...

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D