Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

06
Jan08

Sinais de Luzes - Especial "Projectos Para o Futuro"

condutoras de domingo
Normalmente, quando fazemos sinais de luzes aos outros condutores… essa acção vem acompanhada duma valente ofensa moral, um palavrão ou, na melhor das hipóteses uma saudação a um amigo que se cruza connosco. Mas hoje, enquanto alternamos entre mínimos e máximos, aquilo que se pode ouvir não é nada disto. É a célebre pergunta dos projectos para o futuro. Aquela pergunta que todos os repórteres fazem quando não têm nada para perguntar, e à qual todos os entrevistados respondem alegremente, por não terem nada para dizer. Isso mesmo. Pela primeira vez em 2008, vamos apontar os faróis à malta que já vai lançada lá à frente. E vamos perguntar-lhes apenas isto: “então e… projectos para o futuro?”.

Máximos
Para Maddie. O ano passado ela foi uma brilhante impulsionadora da música pop – com o hit “Dont you forget about me” dos Simple Minds a voltar a ser ouvido nalgum sítio que não o elevador. E foi também uma alavanca essencial para o turismo português e o Ocean Club, que teve finalmente dinheiro para comprar umas cortinas mais bonitas para aqueles quartos desenxabidos. Mas, se 2007 foi o ano da revelação (incluindo os serviços de mediums como o Cabeleireiro Paranormal), 2008 será o ano da afirmação de Maddie. E como? Para variar um bocadinho a trama, que começa a parecer uma novela da TVI, ela vai aparecer. Quem sabe não virá com umas belas sessões de solário em cima, e um turbante na cabeça, estilo Rogério Samora? Pode dar-se o caso de vir também muito magrinha e revoltada com a vida, num género mais Alexandra Lencastre. É que esta coisa do “onde está a Maddie?” já se arrasta há mais tempo que “quem é o tubarão” ou “quem matou António?”. Começa a cansar. E como não temos um guionista do calibre de Rui Vilhena para pôr ordem nesta história, vamos ter mesmo de ser nós. Robert Murat deverá separar-se da sua namorada, por descobrir que ela não é culpada do rapto mas… é sua irmã. Kate McCann será internada numa clínica psiquiátrica, não pelo trauma de ter perdido uma filha, mas pelo facto de ter perdido 2 kg, coisa que a afasta cada vez mais dos parâmetros de mãe gorducha e normal, de quem todos gostam. Gerry virá para Portugal, para consumar uma paixão de longa data com… Ana Vasconcelos. A pedopsiquiatra que acompanhou o caso na SIC e fez afirmações tão fascinantes como “os pais fizeram mal por terem saído de casa sem trancar os filhos”. Moita Flores e Hernâni Carvalho travarão uma luta titânica pela conquista do poder: um duelo de autógrafos num hipermercado ditará o vencedor. Só um poderá ser responsável pelo Certame de Chouriço Ibérico 2008. Os detectives dos McCann vão transferir todo o dinheiro para um offshore na Suiça e os gémeos, fartos de viverem na sombra da irmã, irão com eles. Depois, instalados em Berna, vão exigir um resgate aos pais. Através dum vídeo os veremos passear à beira rio, não com um ursinho pela mão mas com um Noddy de PVC. Assim, a novela Maddie vai deixar finalmente o horário nobre, depois de o ter ocupado por mais tempo que o Anjo Selvagem. E com uma vantagem: Maddie, ao contrário de Paula Neves, não será convidada para mais nenhum elenco.


Médios
Para a ASAE. Depois do ano passado ter dado mostras de hiperactividade, em 2008 passará para a esquizofrenia. A ASAE sofre do gravíssimo problema de ser o único órgão de fiscalização que realmente funciona em Portugal. Padece, por isso, do sindroma do filho único, que tem de ser sempre o melhor. Assim, uma das resoluções de ano novo é expandir o negócio para outros tipos de restauração. Depois da razia aos restaurantes chineses, e até aos nacionais, como o Barbas, a ASAE vai debruçar-se sobre a cozinha japonesa. Vai proibir todo o tipo de peixe cru, ainda que disfarçado com algas. Vai ter em atenção a gastronomia mexicana, proibindo os Tacos e Burritos por terem uma conotação agressiva. Nem os brasileiros estarão a salvo! Vão ver confiscados petiscos como maminha e suco de mamão por serem atentatórios à moral e bons costumes. Isto dá ares de Estado Novo, mas no fundo os agentes da ASAE não são mais que pequenos Salazares, que pretendem fazer “tudo pela Nação, nada contra a Nação”. Mesmo que isso implique que as castanhas assadas sejam consumidas, praticamente, em fossas assépticas. É um sacrifício em nome da saúde dos portugueses. E a ASAE está disposta a mais, nas próximas festividades. Hoje, por exemplo. O bolo-rei, que já está proibido de ter brinde, vai também ser proibido de ter fava. Porquê? Porque diz o código deontológico da ASAE que as leguminosas e o universo dos doces nunca poderão cruzar-se, a não ser na honrosa excepção do pastel de feijão. Assim, se um agente da ASAE interromper o seu dia de reis para examinar o bolo, não ofereça resistência. E esconda todos os presentes que recebeu no Natal. É que à mínima suspeita de DVD contrafeito ou meias de lã que não obedeçam às medidas regulamentares… eles arrolam todos os bens. E em bens incluímos até as avós, paterna e materna, e o tapete da entrada. No 1º trimestre do ano, a ASAE vai dar descanso às cantinas de escolas e hospitais e dedicar-se aos tribunais. Consta que andam a confeccionar pratos muito pesados por lá, que provocam um grau de sonolência acima da média. Se, por um lado, o rancho e o cozido têm os dias contados, por outro, a justiça portuguesa tem sérias hipóteses de se tornar rápida. Mas isto, só quando a ASAE chegar aos notários e cartórios. Nós sabemos que lá não têm refeitório. Mas é mesmo esse o problema! A malta passa a hora do expediente a comer snacks e merendas. Haviam de ver aqueles teclados! A quantidade de migalhas e gordura acumulada é superior à das fritadeiras do McDonalds. E o bolor nos dossiers então, nem imaginam!

 

Mínimos
Para a liga portuguesa de futebol. É que com vencedor anunciado desde o Natal, vão ser precisas muitas manobras de diversão. O Porto está desmotivado e triste, como os alunos sobredotados que as professoras acusam de mau comportamento. Precisa de “meninos para brincar”, urgentemente. Porque ninguém quer ver o Quaresma amuado pois não?! A família dele é bem capaz de interromper a venda para fazer uma visitinha ao Dragão. E depois, salve-se quem puder: não há Scolari que chegue para dar tapas naquela gente toda. Das duas uma: ou mandam vir umas equipas espanholas que não façam lá falta, ou promovem desde já o Fátima à 1ª Divisão. É que o bebé proveta, Carlos Saleiro, é o único que faz frente aos campeões. Já o bebé do Sporting, Miguel Veloso, teve uma saída precoce da incubadora, directamente para os braços de Fátima Lopes e da Moda Lisboa. Arriscou assim um resfriado que pode comprometer seriamente o seu crescimento e as suas performances… em Inglaterra, claro. Na piscina de Ronaldo, claro. Mas, se para os lados de Alvalade reina a clareza, já do outro lado da 2ª circular o cenário é negro. E não, isto não é um terrível trocadilho para iniciar o ano, fazendo alusão a Bynia, Freddy Adu e Mantorras! E daí… até pode ser! É que este trio diz muito sobre o caos reinante na Luz: um pensa que foi contratado para suceder a Mike Tyson, o outro acha que o Benfica tem 20 milhões de adeptos, e o último… bem, o último acha que ainda vai voltar a jogar futebol. Se isso acontecer, para o ano em vez de recebermos em Portugal a corrida Terry Fox (o jovem que fez a Maratona com uma perna amputada), teremos o derby Pedro Mantorras, o ponta-de-lança sem joelho. E mais famosa que a “a mão de Deus”, de Maradona, ficará o “menisco do Criador” de Mantorras.

 



3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D