Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

16
Dez07

Sinais de Luzes - 16 Dezembro

condutoras de domingo

Máximos

Para Dulce Pontes. Que conseguiu arruinar o Tratado que José Sócrates teve tanto trabalho a arranjar. É triste ver as coisas acabarem desta forma. Portugal não assistia a uma vergonha tão grande desde que perdeu o Euro contra a Grécia. Mas ao menos nesse dia a Nelly Furtado não comprometeu, sempre se lembrou da letra do “Como uma força”... Vamos começar pelo princípio. O cenário parecia perfeito e auspicioso. Sócrates aplicou a regra de sempre para as coisas funcionarem: o tom azul europeu. Desta vez estendeu-o das gravatas para o cenário, as bandeiras, e até um eléctrico da Carris, para transportar convidados. Não havia por onde falhar. Além do mais, mandou fazer canetas de prata individuais para todos os signatários do tratado, com uma inscrição alusiva à data… Uma coisa mesmo bonita, a fazer lembrar aqueles brindes das Juntas de Freguesia. Mas em caro. Tudo corria de feição! Os 27 líderes europeus assinaram o documento sem ler, repetindo o velho erro de sempre, que já custou tão caro a Hitler, no Tratado de Versailles. Tudo isto ao som da música de embalar de Rodrigo Leão. Tudo tão certo! Mas eis que surge Dulce, vestida em tons vermelhos e acastanhados, a contrastar com a harmonia do azul. E começa a cantar. Quer dizer… começa a dar gritos guturais, inaugurando uma forma de arte que está muito para lá do limiar “Maria João e Mário Laginha”. Mas ficam os parabéns à organização: se a ideia era esvaziarem rápido os Jerónimos e levar os políticos para o almoço, conseguiram. Só que eles certamente ficaram sem apetite…


 



Médios

Para a gala da TVI. O pressuposto solidário era ajudar a Leopoldina e a sua Missão Sorriso, mas acabaram por cumprir uma grandiosa Missão Gargalhada. Não sabemos se pelo meio ajudaram um ou outro menino pobre, mas tornaram todos os espectadores mais ricos, com aquele espectáculo. O momento da noite pertenceu, claro, a Manuela Moura Guedes. Nós achávamos que o Happy Birthday Mr. President do ano passado, cantado languidamente para Moniz, tinha sido bom. Ainda não tínhamos visto nada! Desta vez Manuela trouxe uma proposta indecente: “encosta-te a mim, desatinamos tantas vezes”, cantou ela. E ao pé da sua versão desafinada, até parece que o Jorge Palma canta bem! É que ele sempre tem o desconto de estar alcoolizado. E os intervenientes na gala pareciam estar todos bem lúcidos. À excepção de Raquel Matos Cruz. Para além de quase ter caído escada abaixo, anunciou a música de Gil do Carmo, silenciando a histérica plateia da TVI. É que estava um indivíduo sentado ao piano a tentar explicar-lhe que era engano e se chamava Pedro Kihma. Mas o espectáculo tinha de continuar. Faltava Ana Sofia Vinhas com o Singing in the rain; os pivots do telejornal a fazerem de gays magos – num trocadilho nunca antes visto; Marisa Cruz a fazer de Maria, mãe de Jesus, e a perguntar a José se quer ficar excêntrico… Faltavam outros brilhantes momentos de humor, com um Pai Natal Goucha e uma Mãe Natal Cristina Ferreira, perdidos entre as mesas de convidados, sem referências, em busca duma cara familiar: um figurante que fosse, do Você na TV! E eis que chegou a notícia da noite: a TVI vai ter canais cabo! E dito isto, José Carlos Araújo precipita-se para um solo de bateria, ao som de Xutos e Pontapés. Tratamento de choque. Quem vai precisar de ser curado em ambulatório, e ajudado pela Leopoldina, agora, somos nós.


 



Mínimos

Para os camionistas portugueses retidos em Itália. Mais uma vez provaram que o verdadeiro homem lusitano arranja sempre forma de se entreter. São já muitos anos de tradição: malta que escova os dentes e faz a barba em pleno tabuleiro da ponte 25 de Abril, esposas que fazem tricot no carro enquanto os maridos estão no estádio, malta que lê o jornal enquanto o semáforo não abre… e que muitas vezes o deixa fechar outra vez, entretido com os horóscopos. O que importa é evitar o tédio, a todo o custo! Ora, o que é que faz um grupo de camionistas que se apanha preso em Itália por causa da paralização dos transportes de mercadorias? Em 1º lugar, bebe todas as grades de cerveja que tiver à mão. Em 2º lugar, tenta bater o record nacional de ingestão de bifanas com mostarda. Posto isto, o que sobra? Fazer uma eleição de Miss Camionista, é claro! Esta é a sucessão natural de necessidades físicas e espirituais do camionista. Como não havia muita água disponível, a ideia de Miss T-Shirt molhada caiu por terra… Tiveram de inovar e eleger a Miss Greve, num golpe criativo de génio. Assim, Ana Paula Gonçalves, camionista há cerca de 1 ano, venceu a competição. Não é qualquer uma que pode gabar-se de ser Miss Greve! Muitos anos lutou Odete Santos por esse galardão e nada! Talvez o facto de engolir dentes em directo, em debates televisivos, não ajude muito. Ainda se os palitasse… sempre ganhava um bónus. É tipo a prova de fato-de-banho lá deles, a malta dos camiões.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D