Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

16
Dez07

Está a Falar de Quê? - Maria de Lurdes Modesto

condutoras de domingo

Hoje tentamos descodificar as declarações de Mª de Lurdes Modesto. Antes de mais, uma ressalva: esse monstro sagrado da cozinha portuguesa merece todo o respeito das condutoras. Quanto mais não seja porque cometeu proezas como ensinar Maria João Cruz a fazer sopa de beldroegas e bacalhau confitado… E isso, entra já no domínio do milagre culinário. Mª de Lurdes acaba de lançar o livro “Queijos Portugueses”. Porque é que esta senhora, que devia estar a descansar, à sombra do sucesso de tantos e tão bons refogados, terá sentido necessidade de escrever mais? Ela explica: “foi motivada pela necessidade de repor a verdade dos nossos queijos tradicionais”. O que se passa? Que mal-entendidos há por resolver na secção de lacticínios dos supermercados? Desde logo imaginei um queijo de Azeitão a manter relações incestuosas com um queijo Limiano. E a realidade não deve andar longe disso, já que Mª de Lurdes diz que existem muitos queijos abastardados. E vai mais longe: em muitos casos o tamanho nem sequer corresponde às normas! Isto é grave. Imagino a desilusão que seja marcar um encontro com um queijo de Niza para depois chegar lá e ver que não tem o tamanho devido. A gastrónoma diz que a culpa é da publicidade, que leva o consumidor a “salivar com total despudor.”

De repente, parece-me que já saímos da queijaria e entrámos noutra secção, mas… continuemos! Mª de Lurdes Modesto diz que “a arte queijeira em Portugal tem uma longa e bela história, porém o apelo pelas grandes cidades leva à perda de saberes ancestrais”. De facto, esse foi o grande flagelo na revolução industrial. Qual êxodo rural qual quê! O que interessa o desemprego ou a falta de saneamento? O problema das metrópoles foi apenas um: o desaparecimento dum belo queijo da Ilha ou a dissolução dum Rabaçal. Mª de Lurdes, apesar de atenta a estes fenómenos sociais, não deixa de lado as emoções. E confessa: “tudo no queijo me fascina”. Comovente. Não se via uma demonstração tão pura de amor a um lacticínio desde que Pauleta atravessou os Açores a correr atrás duma bola de Terra Nostra. Mª de Lurdes é menos discreta que o açoriano, e faz revelações sobre a sua vida íntima: “em matéria de queijos, confesso-me muito leviana. Gosto de quase todos. Tenho um fraquinho pelos queijos azuis mas perante um bom Serpa, genuíno e maduro, traio até o Roquefort, o meu príncipe azul”. Quer-nos parecer que vai uma grande confusão na cabeça desta senhora. Ou no frigorífico! Mas ninguém tem nada a ver com a vida privada das pessoas, por isso, querida Mª de Lurdes, envolva-se com os queijos que quiser, desde que continue a ensinar as novas gerações a fazer carne de porco à alentejana! Isso é que importa.

 


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D