Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

11
Nov07

Sinais de Luzes - 11 Novembro

condutoras de domingo
Máximos
Para Santana Lopes, que voltou a animar as tardes do canal Assembleia da Republica. Em vez de senhores a bocejar, agora vêem-se pessoas em pé e a bater palmas. Se experimentarmos ouvir com som, temos até direito a ficção nacional, da boa. Como já vai sendo hábito nestas produções, começa-se a preto e branco, com roupa de época, a recordar fantasmas do passado. Santana, o nobre, defensor dos bons costumes, desafia Sócrates, burguês endinheirado e bem vestido, para um duelo. Alegando que é “uma questão de honra”, exige-lhe que faça a previsão do défice, e lembra que a “Comissão Constâncio” no seu mandato foi “a 2ª parte da novela”. Temos que reconhecer: Santana é agora, depois do intervalo, um protagonista muito melhor. Ao nível dum Paulo Pires. Inspirado talvez pela corrente de neo-novela da TVI, Santana deixou de lado o filão do menino guerreiro que chora a sua sina, para passar a um modelo mais Western. É o modesto pistoleiro que, apesar de ter menos munições que Sócrates, pede tolerância ao Xerife Jaime Gama, para se adaptar neste regresso às lides. Assim será sucesso garantido junto do público. Ele e o seu comparsa Menezes, que já deixou o aviso a Sócrates: “depois de Austerlitz há sempre um Waterloo”. Se o Primeiro-ministro faz de Napoleão, o mais aproximado que há de Santana é… D. Sebastião. E todos sabemos como os portugueses anseiam pelo seu regresso!



Médios
Para José Mourinho, que voltou às manchetes e parece estar a sofrer de stress pós traumático. Depois de tantos dias longe dos relvados, Mourinho sente falta dos atritos com o seu arqui-inimigo Alex Ferguson, e acabou por descarregar as tensões numa… criança de 12 anos. Mais precisamente, um aluno do St. Peters School, que insultou a sua filha. Segundo relatam as testemunhas, o treinador terá puxado o cabelo, as orelhas, e dado alguns abanões ao miúdo. Isto é o equivalente, na versão colégio privado, à invasão cigana que teve lugar numa escola de Beja, também com nome religioso: EB 2/3 Santa Maria. Na origem de ambos os desacatos está o mesmo sentimento: protecção das crias. Mas com uma diferença: a família cigana conseguiu semear o pânico no refeitório, fazer voar tabuleiros, agredir cozinheiras, partir mesas, perturbar digestões… Mourinho conseguiu apenas que três mães loiras, ao volante de jipes comentassem o sucedido e lhe perguntassem onde comprava as gravatas.
Este episódio vem provar, mais uma vez, que a última pessoa que Quaresma precisa para o defender é um ariano de nome Scolari, que provavelmente também tem os filhos em colégios com uniforme.


Mínimos
Para os portugueses. Todos nós, em geral. Nenhuma das condutoras em particular. Um estudo do Hygiene Council, realizado em 11 países, revelou que 25% dos portugueses não lava as mãos antes de comer e depois de ir à casa-de-banho. Ainda assim, podemos afirmar com orgulho que há povos mais porcos do que nós: alemães e ingleses surgem no topo da tabela. O que tira já alguma responsabilidade dos ombros e nos dá mais uma razão para não molharmos as mãos antes de comer uma sandes de torresmos, feita por uma cozinheira que já não paga a água à EPAL vai para 2 anos, porque simplesmente não precisa dela. É aproveitar enquanto é tempo, porque a nova acção da ASAE arranca já amanhã, com um inspector por cada cidadão, pronto a acompanhá-lo à casa-de-banho, de toalhete em punho. Ainda assim, parece-nos que algo está errado neste estudo. Com certeza que a amostra de população não incluía funcionários públicos. Porque toda a gente sabe que os órgãos estatais estão cheios de gente que aquilo que faz melhor é “lavar daí as suas mãos”, e cujo ditado favorito, ouvido em muitas escutas, é “uma mão lava a outra, as duas lavam a cara”. Esses mesmos senhores levam de tal forma a sério as questões de higiene que até guardam muitos dos seus haveres em esterilizados sacos azuis, para que não sejam contaminados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D