Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

01
Jun08

Guns and Gas

condutoras de domingo

Um concessionário de carros no Estado do Missouri, nos Estados Unidos da América, está a oferecer uma arma de fogo a cada cliente que comprar um automóvel. A promoção Guns and Gas, em português Armas e Gasolina, dá ao cliente que comprar um carro, a hipótese de escolher entre uma arma ou um cupão de gasolina no valor de 250 dólares. Seria de esperar que o cliente escolhesse o cupão da gasolina mas não. Até agora 80% dos clientes optaram pelas armas. No site da empresa, o anúncio da promoção afirma: “Sabemos que a América tem problemas com o crime e com a gasolina. Queremos ser parte da solução, não do problema”. Faz todo o sentido! Já agora porque não oferecer um quilo de chocolates a cada criança obesa que compra uma Barbie? As condutoras ficaram boquiabertas com esta notícia. Ao ponto a que se chega para vender carros. Se esta promoção acontecesse em Portugal ia haver tiroteios nas bombas de gasolina mal o dono do carro visse o preço que ia pagar para atestar o depósito. Mas até que esta técnica de marketing podia ser usada em Portugal mas de maneira diferente. O mercado imobiliário está em crise. E que tal se oferecessem uma moldura de tiro ao alvo com a cara do Sócrates por cada casa que se comprasse? Ia ficar lindamente numa sala de estar e aliviava o stress…
 

01
Jun08

Choque Frontal - Arroz no LIDL

condutoras de domingo

Quando entrávamos no LIDL já tínhamos normalmente a sensação de estar a pisar cenário de guerra. Para começar, aquela ausência de prateleiras. Em vez disso, temos uma espécie de trincheiras, com amontoados de latas de atum e pacotes de bolachas, misturados com sapatos de senhora em imitação de pele e camisolas interiores cinzentas. Fazendo lembrar claramente despojos duma batalha sangrenta. Depois, as fardas dos empregados também têm qualquer coisa de bélico. Nem sequer são em tons tropa, mas têm ar de já ter passado por muito. Quanto mais não seja, pela terrível guerra dos preços baixos, que deixa muitas nódoas. Por outro lado, há aquela turba louca de donas de casa desesperadas. Desesperadas por encontrar o detergente a 70 cêntimos anunciado na Dica da Semana. Agem como verdadeiros soldados, dispostas a morrer pelo tal Sonasol. O perigo de morte paira mesmo no ar. Sentimos isso quando estamos no corredor dos iogurtes, e podemos ser a qualquer momento abalroados por um carrinho desgovernado ou por um senhor de bigode que quer levar sete caixotes de sobremesas lácteas antes que esgotem. No LIDL oscilamos entre um clima de guerra fria (quando vamos buscar pizzas congeladas) e de guerra dos cem anos, quando ficamos nas filas intermináveis para pagar apenas uma lâmpada. Mas esta semana, mais do que nunca, sentimos que Portugal estava mesmo em guerra, quando entrámos neste supermercado. E porquê? Porque o arroz estava racionado! Medida tomada por causa da escassez deste cereal. A direcção do LIDL justificou-se, afirmando que o racionamento de 10kg por cliente não punha em causa o consumo das famílias nacionais. Nota-se bem que esta empresa é alemã. Porque em Portugal 10kg de arroz esgotam-se num instante. Um arroz de marisco ao pequeno-almoço, um arroz de tomate a meio da manhã, um arroz de pato ao almoço e um arroz de feijão a meio da tarde… 10kg de arroz já nem chegam para o jantar – um clássico arrozinho de atum. Esta medida durou pouco, porque o Governo obrigou o LIDL a suspender o racionamento. Ao mesmo tempo, a União Europeia pediu aos consumidores para não comprarem mais alimentos do que o necessário, para evitar a corrida aos alimentos. Isto é uma coisa impossível de pedir aos portugueses. A não ser que acabem com os termos “desconto” ou “leve 2 pague 1”. Porque enquanto estas promoções existirem, nós vamos sempre comprar artigos dos quais não precisamos. Como aqueles 3 pacotes de arroz basmati, cujo sabor até odiamos, mas acabamos por trazer só porque oferecem uma túnica indiana para criança. Óptima para os nossos filhos. Que nós por acaso não temos, mas podemos vir a ter.

01
Jun08

Nereida

condutoras de domingo

Um “verdadeiro animal sexual”. É assim que Pedro Campane, antigo companheiro de Nereida Gallardo, define a actual namorada de Cristiano Ronaldo. Pedro Campane namorou apenas dois meses com Nereida mas jura que foi o tempo suficiente para saber a bomba sexual que ela é e afirmou que o namoro acabou porque ele não aguentava mais o ritmo de Nereida na cama. E ainda vai mais longe dizendo que “ela não tem quaisquer pudores e gosta de fazer tudo” e que “ela não percebe muito sobre futebol mas sabe definitivamente como agradar a um homem”. O Cristiano Ronaldo tem mesmo queda para bombas. Se não são os carros, são as mulheres. Nós já sabíamos que a rapariga era um bocado fresca, desde que vimos as fotografias dela que andaram a circular. Mas que ela era assim tão potente, não fazíamos ideia. Finalmente uma explicação plausível para o motivo de Cristiano Ronaldo andar a falhar penaltis…O rapaz até é novo e bem constituído mas há limites! De qualquer modo ficámos contentes com esta notícia. Depois de Cristiano Ronaldo ter namorado com tantos pãezinhos sem sal merecia alguém à sua altura. É que vendo bem as coisas, quer a Nereida, quer o Cristiano Ronaldo são craques. As posições é que são diferentes…
 

01
Jun08

Condução Defensiva - Craques

condutoras de domingo

Cada época tem os heróis que merece. Os nossos não combatem em guerras nem cruzam mares desconhecidos; são heróis ultra-pós-modernos que se esfalfam a correr atrás do esférico, investem em carros desportivos e carregam pesadas pochettes Louis Vuitton - sacrifícios feitos em nome do entretenimento nacional. Por agora, contam-se em 23, os 23 craques que o DN homenageia no Guia Euro2008. Até aqui, tudo velho. Um guia faz sempre falta: dá para consultar os jogos e marcar os resultados. Só que no DN quiserem mais; quiseram ser tão originais como a lista de convocados de Scolari e pensaram: «Se isto é para ser sobre bola, vamos dar-lhes outra coisa completamente diferente!» E, pimba, deram-nos com escritores. O que até podia ser bom se o resultado se aproximasse de um livro do Assis Pacheco, Memórias de um craque. Só que os 23 craques são tão novinhos que ainda não têm memórias para partilhar. Mas isso resolve-se! Como? Pedindo a super-craques-da-escrita, os «25 maiores nomes da escrita em português», segundo o DN, que componham textos sobre os jogadores, o seleccionador e o futebol. E lá está o Nobel a homenagear o desporto-rei, confessando que folheia a secção desportiva «apressadamente» e que gosta é de clubes espanhóis, coisa boa de se ouvir em tempo de apoio à selecção... Estão lá Mega Ferreira, Álvaro Magalhães, Gonçalo M. Tavares e Mário Cláudio. Depois chegam os “Paulos Ferreiras” desta lista: Rosa Lobato Faria, Rodrigues dos Santos e Victorino d’Almeida – com Inês Pedrosa à cabeça enaltecendo Felipão num texto em que defende que o facto de Scolari não ser português lhe poupa «aquele impacto vísceral» característico dos lusos. E o murro no sérvio?! Foi diferente! Não meteu vísceras! Apenas a cabeça perdida deste lindo ser humano brasileiro, coisa que Pedrosa até apreciou. Na lista de convocados literários, há ainda mais mulheres, como Lídia Jorge, encarregue de passar a mão pelo pêlo de Miguel. Tornou-o personagem de um romance onde se lava roupa suja, se invocam santinhas e se confessa um amor proibido por se basear em pressupostos falsos: «Miguel, só Miguel, sem apelido nenhum, é o meu favorito. Aqui há dias, falaram-me de um romance rocambolesco passado entre o Miguel e o Benfica. Fiquei do seu lado. O Miguel entra em campo e corre ali naquela zona em que não se dá por ele. Não vem à frente». Lídia não deve ser do Benfica, não se deve lembrar da época 2003/04 e muito menos de um golo do Miguel contra o Estrela da Amadora. Por isso, em vez de usar esses dados para fazer dele mais do que um defesa, transformou-o de herói em vítima, na esteira dos mais comoventes guiões de novelas da TVI. Caramba! Como se já não bastasse terem entregue Simão a Rodrigues dos Santos e Deco a Lobato Faria! Ainda se deram ao trabalho de provar que as mulheres não percebem de bola. Nós estamos indignadas e consideramos que tamanha artimanha só pode ser rectificada com uma manobra muito mais ousada do que este guia. Original, original seria o DN investir num Guia Feira do Livro2008, com 23 craques-da-bola a dissertarem sobre as qualidades literárias de 23 craques-da-escrita. Ficamos, assim, à espera d’«as figuras femininas na escrita de Baptista-Bastos» por Pepe, de «Zink, a pornografia e o humor cáustico» por Bosingwa ou de «Crimes capitais – a literatura policial de Francisco José Viegas» por Bruno Alves.

01
Jun08

Tão Mau Que é Bom - Mascotes

condutoras de domingo

O mês de Maio que ontem chegou ao fim libertou o taxista e a velhinha de paragem de autocarro que há em todos nós. Passámos dias – semanas, até – a maldizer o frio e os aguaceiros. Resmungando que “assim uma pessoa nem sabe o que há de vestir” e que “a chuva faz bem à agricultura, mas agora não é altura dela”.
Mas quantos de nós pararam para pensar… sobre QUEM tem a culpa do tempo estar assim? Sim, é imperativo apurar culpados, numa espécie de Cluedo Meteorológico. A primeira tentação é apontar o dedo ao Governo – se aumentam os combustíveis, também podem estragar o bonito clima mediterrâneo. Mas, por uma vez, Sócrates não tem culpa. Em rigoroso exclusivo mundial, as Condutoras de Domingo podem assegurar que a culpa é do Gil. Qual Gil? A mascote da Expo 98 pois claro! Chegámos a esta brilhante conclusão porque seguimos o exemplo dos chineses. E tantos milhões e biliões de pessoas não podem estar erradas. O supersticioso povo chinês relaciona a onda de desastres que tem assolado o país com as cinco mascotes dos Jogos Olímpicos de Pequim: Beibei (um peixe), Jingjing (um urso panda), Huanhuan (uma chama), Yingying (um antílope tibetano), e Nini (uma andorinha). Para aquela malta, foram estes Pokemon fofinhos que causaram as catástrofes e revoltas que têm atingido a China desde que começou o ano olímpico – incluindo o sismo que matou milhares de pessoas. Há mesmo quem defenda que é uma espécie de vingança cósmica derivada da causa do Tibete. A nós, não nos espanta: pessoas que têm ar de não partir um prato, como o Dalai Lama ou o Passos Coelho, são sempre mais manhosas. Ora esta história de culpar as mascotes explica muita coisa. Afinal, Portugal não perdeu o Euro 2004 frente à Grécia porque o Pauleta e o Nuno Gomes não sabem a diferença entre uma baliza e um poste de alta tensão – foi mesmo porque o sacana do Kinas, o nosso símbolo, nos deu azar. E este ano, se nos estamparmos, culpamos quem? O cão do Chocapic que o Moutinho come ao lanche?
 

Pág. 9/9

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D