Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

06
Abr08

Estação de Serviço - Bimby

condutoras de domingo
Antigamente toda a gente tinha uma empregada com aquelas fardas com gola de renda. Hoje, criadas de avental só sobrevivem em telenovelas, e o que toda a gente tem é uma Bimby. Sim, estou a comparar uma máquina com as governantas, não só porque ela faz tudo e mais alguma coisa, mas porque os donos a tratam com mais humanidade. Descrevem-na como “ajudante de cozinha imbatível, 12 vezes patenteada, inovadora e sem rival”. Nunca vi ninguém falar de forma tão apaixonada duma funcionária. Mas também é verdade que não conheço nenhuma que pique, rale, corte, bata, amasse, moa, triture, pese, emulsione, cozinhe até a vapor e se lave sozinha. Bem, esta parte da higiene pessoal já não sei. Mas de que nos serve uma empregada que limpa até as orelhas e o umbigo, se depois não é multifunções? A verdade é que por trás da Bimby se esconde um poderoso sistema, com malta que entrega a vida a esta causa, e vai por aí fora, levar a mensagem do robot de cozinha. Dizem-se “agentes por convicção”. É aqui que reside a grande diferença. Nunca ouvimos ninguém dizer que é agente da D. Maria de Fátima e publicitar o seu polvo à lagareiro em 5 minutos. À falta dum sindicato das domésticas portuguesas, a Bimby tem toda uma tropa de convertidos que deixa família e trabalho e entrega a sua vida à perfeição deste instrumento. Todos conhecemos pessoas assim: já não nos convidam para jantar, avisam que a Bimby vai dar um jantar lá em casa. Nesse momento tememos que na próxima vez seja a própria da Bimby a telefonar-nos. Nunca sabemos se não vamos ser os próximos a cair em tentação. É um momento quase tão marcante e incontornável como o primeiro emprego ou o casamento. A demonstração da Bimby. Chegando lá, sabemos que não vamos conseguir recusar. Não há relato de ninguém que tenha saído ileso. Ao fim do 3º prato cozinhado em minutos, já estamos a fazer contas à vida e aos créditos. E a contrair mais um empréstimo, só porque a Bimby faz granizado de morango, coisa tão útil. Depois disto, é todo um ritual. Deitar fora o arsenal de tachos, panelas, oferecer os electrodomésticos aos sem-abrigo (o que é parvo, porque eles não usam tomadas), deixar de ir a eventos sociais para conhecer melhor a Bimby, os seus gostos e anseios. Mas tudo isto pode mudar. Num segundo. Porquê? Porque a maravilhosa Bimby pode estragar-se! É verdade. Têm saído avisos na imprensa sobre o modelo TM31, que foi vendido nos últimos anos com defeito e não cumpre os padrões de segurança. Não são descritos acidentes mas já imagino mães de família transformadas em strogonof e homens cozinhados na velocidade 3, quando queriam apenas fazer uma omelete.
06
Abr08

Horóscopo - Adeptos FCP

condutoras de domingo
Uma semana inteirinha - foi o tempo que os astros dedicaram aos 20 adeptos do Futebol Clube do Porto que, no domingo passado, resolveram lançar uns pozinhos de destruição ali para os lados de Belém, mais precisamente, no mítico «Pastéis de Belém». Apesar de pacíficos, e antecipando desde já aquela que será a maior descoberta astrológica do ano, a conquista do título pelo FCP, os astros aconselham novas investidas violentas até ao final da época. Parece que esses pozinhos são mágicos e transformam-vos em verdadeiros magos patalógicos do futebol. Basta deitarem-nos sobre aquilo que é considerado um símbolo dos vossos adversários para conseguirem bafejar a vossa equipa de sorte e fazer sair da cartola dos árbitros salvíficos penaltis de último minuto. Por isso, sejam persistentes: partam todos os locais que vendem doçaria típica nas localidades onde o vosso clube jogar. Não acreditem no velho ditado: não são apenas os homens que se conquistam pelo estomâgo; também os títulos desportivos se alcançam com investidas deste género. É certo que a doçaria é elemento novo nestas manobras, tendo em conta que o FCP sempre esteve mais rodeado por paio do que por qualquer outro produto alimentar. Mas esta mudança apenas prova que vocês são uns visionários. No entanto, sejam sempre astutos e velozes, tal como os avançados do FCP e tal como vocês próprios foram no domingo passado, em Belém, quando se puseram em corajosa fuga ao perceberem que tinham de enfrentar a reacção dos 100 empregados dos «Pastéis de Belém». Só mesmo com essa velocidade conseguirão continuar a iludir os polícias que vos escoltam desde essa remota terra que habitam e sair ilesos, sem cortes nem feridas, depois de partirem umas seis ou sete vitrinas de uma pacata pastelaria. De outra forma, com os tais cortes e feridas, a violência teria um preço, deixando de ser gratuita e comprometendo toda a vossa fama de dragões com um poder destrutivo inabalável.
Como conselho final, os astros têm apenas uma informação preciosa a dar a estes temíveis 20 adeptos do FCP, de modo a que eles não mais se desorientem e canalizem todo o poder patalógico que possuem para os sítios certos: Belém, para além de ter sido o sítio onde nasceu Jesus (coisa que agora não vos interessa porque é do tempo do rei Herodes e não do rei Pinto da Costa), é a zona onde nasceu o processo Casa Pia e nada tem que ver com as origens do processo Apito Dourado.
06
Abr08

Choque Frontal - Apito Final

condutoras de domingo
Finalmente há animação na liga Bet and Win! No que diz respeito a golos marcados e sofridos, tudo na mesma. Mas no campeonato das notas de culpa e comissões disciplinares a coisa está renhida. Graças aos jogos com o Estrela e o Beira-Mar, em 2003, o Porto corre agora o risco de perder 6 pontos. Olha, grande coisa! Num ano em que leva 16 de avanço! Aliás, tendo em conta a demora da justiça, até podem tirar já 10 pontos que ficam de avanço para o futuro. Aposto que neste momento Pinto da Costa ficaria mais irritado se lhe tirassem 6 pontos do seu Cartão Fast Galp ou do recente Cartão das Farmácias. É que o Presidente portista está com certeza mais preocupado em trocar pontos por uma batedeira ou um frasco de mercúrio cromo. Fala-se até na hipótese dos dragões começarem a próxima época com pontos negativos. O que concretizará a promessa de Luís Filipe Vieira – Benfica na frente do campeonato. Ele nunca disse se era na última jornada ou nas duas primeiras! Se a ideia é mesmo castigar o Porto, deviam pensar noutras técnicas. Gostava de deixar algumas sugestões. Despedir o Jesualdo! Afinal, se basta um aperto de mão para ele ficar, deve bastar um ligeiro aceno para se ir embora, e vir para o seu lugar o Chalana. Ou outro qualquer que nunca tenha querido ser treinador, como o Paulo Bento! Outra penalização eficaz é arranjar um jogador ainda em funções, que tenha mais poder de decisão que o treinador e mais responsabilidade que o Presidente. Pode ser o Helton, que dentro do FCP é o que mais se parece com um Maestro. Resulta sempre! Qualquer coisa é mais eficaz do que subtrair uns pontinhos. Podem embalsamar o Emplastro e extinguir assim os directos televisivos do Dragão, podem silenciar o famoso corneteiro das Antas – e constatar como afinal aquele corridinho da Madeira era inspirador. E porque não criar regulamentos próprios para os portistas? Bruno Alves tem de praticar reiki 2h antes do jogo, Quaresma não pode usar bijutaria nem laca, Bosingwa não pode ultrapassar os 50 km/h dentro das localidades, Lucho tem de participar no Extreme Makeover e deixar de parecer um assassino em série, Raul Meireles tem de passar um mês intensivo com Miguel Veloso, a 7ups e Bollycaos… Vale tudo para tornar a liga mais competitiva: os portistas viajarem em carrinhas de caixa aberta, trocarem o típico hotel Altis pelo parque de Campismo de Monsanto ou trocarem as suas namoradas por mestrandas da Faculdade de Letras, que lhes recitem Proust em vez da TVMais. Quanto a Pinto da Costa, o maior castigo será ver todos os árbitros da Liga substituídos por diabéticos. Daqueles que não toleram mesmo chocolatinhos, nem fruta com muito açúcar.
06
Abr08

A Bica

condutoras de domingo
E não há maneira melhor de saborear um livro do que numa mesa de café. Mas esse é um hábito que se pode vir a perder. Isto porque é oficial: há um complot contra a bica. Primeiro foi a lei do tabaco que fez com que alguns amantes do expresso abandonassem o seu ritual de beberem um cafezinho enquanto fumavam um cigarrinho. Depois foi a ASAE a querer que a bica seja servida em copos de plástico em vez das típicas chavenazinhas de café. E agora deram o golpe final: a bica vai passar a custar 1 euro! 1 euro por um pouco de água com pó de café. Um euro é 200 escudos na moeda antiga e ainda é dinheiro. Numa altura em que tudo sobe de preço em Portugal desde a gasolina até ao pão, a pobre da bica não escapou ilesa e se calhar daqui a uns tempos a bica vai se tornar uma bebida para gente rica bebida num tubo de ensaio todo fashion e até pode ocupar o lugar do champanhe. Quando houver motivos para se festejar em vez do habitual “tragam o melhor champanhe!” vai-se ouvir: “tirem as bicas!” Beber café em casa pode ser monótono e não é tão chique como ir à Brasileira mas as condutoras foram espertas e aderiram à moda das máquinas Nespresso e acreditem que o George Clooney não teve nada a ver com isso. O café vem em cápsulas coloridas, é bom, é divertido de fazer e sai muito mais barato. E verdade seja dita: uma máquina Nespresso abrilhanta qualquer cozinha mesmo que seja uma kitchenette com azulejos castanhos com galos de Barcelos…

  

06
Abr08

Condução Defensiva - Literatura Maddie

condutoras de domingo
E agora algo completamente... idêntico! A literatura Maddie está de volta a este nosso carro! Como resistir-lhe quando as caixas de mail estão entupidas com informações sobre mais livros dedicados ao desaparecimento da menina McCann?! Desta feita, a obra chama-se A ESTRELA DE MADELEINE e foi escrita por Paulo Pereira Cristóvão, o antigo inspector da PJ de cuja pena saiu A ESTRELA DE JOANA. Parece que o que o levou a dedicar-se ao caso Maddie foi um desafio lançado pela editora do livro. (Pudera... Para quê continuar a disfarçar o facto de Maddie se ter tornado num negócio rentável?) Mas, segundo Paulo Cristóvão, houve outra razão: Portugal e a PJ foram «vítimas dos mais violentos ataques de que há memória sem que da (...) parte [dos] portugueses e instituições portuguesas tivesse havido defesa.» E, vai daí, qual justiceiro, publica A ESTRELA DE MADELEINE. Comovidas, nós e o nosso carro, portuguesas dentro de uma instituição portuguesa, agradecemos. Sobretudo porque o autor diz que escreveu este livro «com o coração», considerando-o «um grito luso contra aqueles que, entrando pela soleira da nossa porta dentro, não quiseram nem souberam respeitar-nos.» E como é que, então, nos damos ao respeito? Publicando livros atrás de livros sobre uma investigação ainda não terminada, com base, e passo a citar o autor, nos «poucos factos apurados pelos investigadores e nas contradições das testemunhas». Há quem lhe chame receita do sucesso. Não; afinal esta é a receita do respeito. E não leva mais nada, a não ser a promessa de desafiar os leitores a encontrarem a chave deste enigma. Ora, o único enigma que vislumbro aqui é como descobrir neste livro uma «nova visão, elucidativa e vital para a conclusão dos factos e apuramento da verdade». Mais parece alguém a querer substituir-se à própria PJ, afirmando ao mesmo tempo a sua credibilidade. Mas que sei eu disto? Nada. Afinal, Pereira Cristóvão esteve 5 meses a escrever este livro, cuja publicação não podia mais ser adiada (não vá Maddie aparecer algures e estragar tudo!). Fico apenas aliviada por perceber que A ESTRELA DE JOANA lhe custou 3 anos e meio de trabalho de escrita, ou seja, comparando com os 5 meses que lhe levou o livro sobre Maddie, percebe-se que Paulo Cristóvão anda a conseguir publicar em menos tempo. Dentro de semanas teremos certamente outro livro. Talvez A ESTRELA DE MARILUZ. E, claro, por sugestão de uma qualquer editora, teremos ainda a primeira colecção de literatura Maddie: a colecção «A Estrela de...». Só espero é que, entretanto, continuem a mediatizar casos de crianças desaparecidas ou esta colecção corre o risco de ter que se virar para os objectos perdidos. E assim teríamos que levar com mails a anunciar o imperdível A estrela das chaves de casa ou A estrela dos óculos escuros...
06
Abr08

Dom Jorge Ortiga

condutoras de domingo
Esta semana foi pródiga em declarações fantásticas sobre o conceito de democracia. Vieram a torto e a direito, tanto da política como da religião. Não foi só Jaime Gama que nos iluminou com os seus exemplos democráticos. Dom Jorge Ortiga, presidente da conferencia episcopal, veio puxar as orelhas ao governo e dizer que um estado não pode ser ateu e deixar de satisfazer a opção dos cristãos. Isso não é democrático. Certo. A ver se entendemos. O que é, democrático, portanto, é um estado ser cristão – católico, neste caso – e deixar de satisfazer a opção dos muçulmanos, budistas, hindus, cientologistas, ateus e por aí fora. Isso é que é democrático! Para alem de revelar um respeito pelo próximo espectacular. Curioso que esta coisa da democracia já não se aplica quando se mete dinheiro ao barulho. Na mesma semana em que veio exigir que apanhemos todos pela mesma tabela, Dom Jorge Ortiga veio separar as águas e protestar contra as investigações do fisco a sacerdotes. Isso já não precisa de ser democrático. Os padres não têm nada que se misturar com o comum dos mortais e fazer coisas tão terrenas e mundanas como, preencher o IRS ou pagar a Segurança Social. Deve ter sido assim que Deus quis. Aliás, estou mesmo a vê-lo, lá no alto dos céus, no momento das grandes decisões sobre a criação: “Portanto... não matarás, não cobiçarás coisas alheias, não furtarás... ah, e os padres não pagam impostos. Manda imprimir!!
06
Abr08

De Encontro ao Pára-Brisas - LIDL

condutoras de domingo
Nos 2 últimos anos, as Lojas LIDL na Alemanha contrataram detectives privados para controlar os hábitos dos trabalhadores. Através de câmaras foram registadas informações tão fascinantes como a do empregado que só tinha 85 cêntimos de saldo no telemóvel ou o outro que tem amigos drogados. Nós pensávamos que a eficácia e rigor alemães só se reflectiam na qualidade dos iogurtes, mas errámos. Os directores do LIDL defendem esta atitude com a necessidade de controlar os furtos dentro das instalações, e pediram desculpa, para o caso de algum empregado se ter sentido “pessoalmente atingido”. Bem, assim de repente, não nos parece muito agradável ter um relatório inteiro a nosso respeito. Demonstra alguma atenção, e até carinho mas na prática assemelha-se à daquelas mães de adolescentes que abrem a correspondência, espiam as conversas na net e os perseguem para as discotecas. Tudo pelo bem deles, claro! Esta malta do LIDL eleva o termo picuinhas a todo um novo patamar. Ninguém diria, a avaliar pelo caos que se vive naquelas prateleiras, em que facilmente uma sobremesa láctea convive com umas peúgas antracite, ambos na zona dos enchidos. Mas se relembrarmos outra das histórias da semana, percebemos que eles são… como dizer? Meticulosos! Cá em Portugal processaram Nazaré Gomes, uma senhora de 70 anos, por ter roubado um creme hidratante no astronómico valor 1 euro e 36 cêntimos. Ao que parece, a senhora quis pagá-lo na altura, mas eles preferiram chamar a GNR. Realmente tem promoções fantásticas, este LIDL. Uma pessoa vai lá fazer as compras do mês e habilita-se a ganhar um processo-crime, ou uma biografia completa e detalhada. Incluindo um inventário sobre o conteúdo da mala, a cor das meias e a saudação com que atende o telefone. Acho que deviam até passar a anunciar estas coisas na Dica da Semana, em vez daquelas manchetes com carne para grelhar. As duas histórias têm um factor comum: o recuo no último momento. A ladra velhota, que já tinha passado a fase de inquérito e ia ser julgada, viu a queixa ser retirada na véspera. Quanto à espionagem, logo agora que tinham ali uma ideia com pano para mangas, para um reality show, desistiram. A coisa podia crescer, montar-se um confessionário junto aos congelados, contratar uma Teresa Guilherme mais barata, tipo marca branca, e até votar em quem saía do LIDL. Podíamos fazer tanta coisa, e o máximo que faremos é ir comprar enlatados. E sorrir muito. Porque além de estarmos a ser filmados podemos estar a ser avaliados. Não estranhe se na próxima ida às compras, a funcionária da caixa lhe der os parabéns e levantar uma plaquinha a dizer “oito”, como na patinagem artística. 
06
Abr08

Depuralina

condutoras de domingo
Quando Deus criou o homem, estava longe de imaginar os efeitos desse acto irreflectido. Quando a Ciência criou o Depuralina, e o lançou no mercado, também. O caso do suplemento alimentar, cuja venda foi suspensa por suspeitas de efeitos secundários, ligados a três casos graves, tem provocado reacções em cadeia, ora à direita, ora à esquerda. O PSD já mandou instaurar um inquérito interno, destinado a averiguar se o Depuralina está, ou não, na origem dos casos graves registados no partido e que tantos efeitos devastadores têm tido na opinião pública. Seguindo as recomendações da Direcção Geral de Saúde, Luís Filipe Meneses já mandou suspender a toma do produto pelos militantes. O Depuralina é um produto dietético, desses cujo consumo está bastante generalizado entre os portugueses. Só no ano passado foram vendidas mais de 850 000 unidades de suplementos alimentares e calcula-se que cerca de metade dos portugueses vivam em dieta permanente. O Governo já veio fazer o mea culpa pois, com o aumento de impostos e os cortes no orçamento, mais não tem feito que obrigar os portugueses a apertar o cinto. O Partido Comunista também já admitiu, nalguns momentos da sua história, ter recorrido ao Depuralina. Rico em fibras, este produto ajuda a expelir os resíduos do organismo, pelo que o partido tê-lo-á usado para expulsar do aparelho partidário alguns militantes mais incómodos.
06
Abr08

Eterna Juventude

condutoras de domingo
Igualmente perturbadora pode ser a busca pela eterna juventude. A nós, já nos metia confusão aqueles anúncios em que umas senhoras se bezuntam com caviar como se as suas bochechas fossem tostas. Mas, pelos vistos, há pior. Esqueçam os peelings, os botoxes, e as lipoaspirações… O que está a dar são sanguessugas! Não acreditam? A giraça da Demi Moore, que tem 45 anos, surpreendeu toda a gente ao revelar no programa de David Letterman, que o segredo da sua elegância e juventude é o uso de sanguessugas para desintoxicar corpo.
Segundo a própria “os médicos colocam as sanguessugas na barriga e é possível sentir as picadas. Relaxo e fico a vê-las a engordarem com o meu sangue e depois sinto-me limpa”. Hum...

Por muito apelativo que este processo possa parecer, as condutoras preferem os seus pneuzinhos a serem atacadas por animais gosmentos sedentos de sangue. Demi Moore afirmou que não tem medo de envelhecer e que não podemos viver obcecados com a aparência mas a realidade é que parece que quem é obcecada com a aparência é a própria Demi, porque usar sanguessugas parece uma atitude de desespero. E as sanguessugas não devem estar a dar muito resultado porque recentemente a actriz gastou 380 mil euros num personal trainer, lipoaspirações, redução de peito e tratamento dentário… Quem é que lhe manda arranjar um namorado quinze anos mais novo? Mas as condutoras ficaram a pensar nesta ideia das sanguessugas e interrogamo-nos se será possível usá-las na cabeça para limpar o cérebro. Em Portugal não faltariam candidatos como por exemplo a Luciana Abreu que além de estar mais cheia de peito também parece andar com a cabecinha muito cheia…

06
Abr08

Está a Falar de Quê? - Carolina Michaelis

condutoras de domingo
A professora não fala; a escola não fala; quem sobra? Os alunos. Que alunos? Os da turma mais famosa do país: o 9ºC da Carolina Michaëlis! O caso do telemóvel na aula aconteceu há quase um mês e continua a encher jornais. Sobretudo neste pós-Páscoa, momento em que o 9ºC voltou ao liceu, de mochila às costas e acusações na ponta da língua. Se você é dos que perdeu o artigo do Público que pôs em discurso directo o 9ºC, ouça com atenção o que se vai seguir. Os alunos deram corda à língua. Qual bando de comadres, fizeram-se primeiro difíceis, fizeram o número do «agora-não-não-há-nada-a-dizer»; depois, desmancharam-se que nem manteiga ao lume e queimaram-se com explicações eruditas. E passo a citar a mais explicada das alunas: «A stôra disse que podíamos usar o telemóvel sem perturbar. Alguns puseram-se a mandar mensagens, outros a ouvir música. Ela atendeu uma chamada. A professora não achou piada, avisou-a. Ela não quis saber e a stôra tirou o telemóvel. Ela levantou-se e pronto...» “Ela” é a célebre protagonista do vídeo do You Tube, miúda com potencial para brilhar no próximo Tarantino; quanto ao “e pronto”, julgo que remete para o que se vê no vídeo. E isso a autora destas declarações sintetiza de uma forma magistral, encolhendo os ombros: «A gente com aquela stôra abusa». E nós a pensarmos que o vídeo era apenas uma entusiástica manifestação de carinho para com a stôra, uma espécie de dança espiritual através da qual espalhavam boas energias pela aula. Afinal não. Segundo outro aluno, eles abusam com aquela stôra não porque ela fala francês, dificultando a comunicação e obrigando a que recorram à linguagem corporal, mas porque ela merece. Ou melhor, e passo a citar, «deve ser porque ela é muito boa dar aulas, deve». Gente que recorre assim à ironia não é tonta, não! Aliás, para a stôra de Francês, o que eles são é «selvagens, marginais, burros e ignorantes»; é isso que lhes chama e eles não gostam. Por isso, dizem que a marcaram, mas «olhem que este marcada é entre aspas», avisam. Ora, isto é gente que usa aspas, que recorre à ironia, que tem poder de síntese e que só não grama uma mulher amável ao ponto de permitir a utilização de telemóveis na aula, provavelmente para ver se com o contacto tecnológico consegue tornar os “selvagens” mais sofisticados. Porque, no fundo, o que estes miúdos têm é excesso de meios. Já lá vão os tempos em que o máximo que se conseguia de um stôr era a autorização para fazer exercícios de picotado. É claro que nesses tempos não havia telemóveis e as mensagens seguiam de mão em mão escritas num canto do caderno da Candy Candy. Pelo menos, os stôres só nos sacavam declarações de amor ou poemazecos para treinar o vernáculo com rismas em “alho”. Ainda assim éramos “xungas”, como a miúda que lutou para resgatar o seu telemóvel em angústia das mãos da malvada stôra. Valha-nos isso. É que nunca os alunos das gerações passadas conseguiram estrelar num vídeo do You Tube. E isso, sim, é bastante selvagem e perturbador. 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D