Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

20
Abr08

No Auto-Rádio a 20 de Abril

condutoras de domingo

Neste domingo chuvoso, ouvimos:

 

The Clits - "Girl Next Door"
Lupe Fiasco feat. Matthew Santos - "Superstar"
Ruas - "Epopeia"
Yael Naim - "New Soul"
NBC - "Segunda Pele"
Mundo Complexo - "Puto Charila"

 

Até para a semana! Como sempre, das 11:00h às 13:00h na Antena 3.

20
Abr08

Sinais de Luzes - 20 de Abril

condutoras de domingo

Mínimos

Para Judite de Sousa. A senhora dos longos telejornais e das intermináveis entrevistas, afinal não é tão eloquente como pensávamos. Acerca da polémica que envolve Fernanda Câncio, namorada de Sócrates, e um eventual programa no canal 2, Judite de Sousa não calou a sua indignação. E disse o quê? Que condenava veementemente as acções perpetuadas por membros do PSD? Não. Disse apenas: “fazer isso é uma coisa muito feia”. A isto se chama não levar trabalho para casa. A partir do momento em que desliga o seu botão de pivot, Judite volta a ter o léxico que tinha na pré-primária. Só faltou dizer que os sociais-democratas que têm falado do assunto são meninos maus. Realmente, quando ouvimos falar o seu marido, com aquela forma muito própria de dizer os L’s, sentimo-nos de novo no jardim-de-infância. De qualquer forma não deixa de ser um gesto de coragem, criticar o partido de Fernando Seara. Além do mais Judite é reincidente. Ou, na língua dela: “uma miúda mal comportada”. Já o ano passado alinhou naquela ideia maluca do Sócrates, das Novas Oportunidades, e foi fazer anúncios, a brincar aos quiosques. Também graças às más companhias tornou-se sócia do Porto. E perante isto, Seara cala-se. Está provavelmente na primeira fila das aulas, atento às palavras sábias dos seus mestres Luís Filipe. O Menezes e o Vieira. O vice-presidente do PSD, Gomes da Silva, disse que Fernanda Câncio a trabalhar na RTP2 era uma situação “escandalosa, pornográfica até”. A nós pornográfico mesmo parece-nos Judite de Sousa desrespeitar assim o seu pequeno Fernando, que anda entretido a trocar cromos do Benfica enquanto ela o desautoriza em público. Isto não se faz. É uma coisa… como é que havemos de dizer? Muito feia!

 

 

Médios

Para António Manuel Neves Ferrão. Podíamos dizer que era para Toy. Mas não, neste caso é mesmo para António. Porque Toy é apenas o cantor romântico, que foi casado com Tina, que se separou de Tina e que teve um filho ilegítimo, com Elisabete Silva. António Ferrão, esse, é um cidadão esclarecido, que não se conforma com o processo que o opõe a Elisabete no Tribunal de Menores do Porto e que usa o seu Direito de Resposta no 24 Horas. Empregando termos como “a intempérie que assolou o país”, “munido da competente procuração” ou “senhora escrivã”. Termina pedindo que se “retratem com a verdade” e lembrando: “nunca me eximi nem eximirei das responsabilidades”. Ora, isto são coisas que Toy nunca diria. Senão tinha havido singles como “Estupidamente Eximido” ou “Aguenta-te com esta… intempérie”. A verdade é que a discografia de Toy está cheia de palavras banais e de provas descaradas de infidelidade. Músicas como “quero que sejas minha amante”, “vou estar com elas” ou “diz que tens alguém (atende o telefone)”. Só mesmo Tina para não perceber. Elisabete, cabeleireira da RTP, é bem mais esperta. Resta-nos dar um conselho à estaçao pública. Vimos aqui a semana passada que a malta da SIC andava doida com os problemas de Celeste, profissional dos cabelos. Vocês, tenham olho nesta Elisabete. Se ela se lembra de engravidar de tudo o que é artista da música ligeira, não vamos ter talkshows suficientes para receber tantas crias. É que já se sabe: filho de peixe sabe nadar, e filho de cantor pimba sabe… escolher camisas floridas, aprender coreografias nas cassetes da Xuxa e fazer playback.

 

 

Máximos

Para Pinto da Costa. Voltamos assim ao futebol. Ou melhor, aos casos clínicos. Pinto da Costa foi falsamente internado esta semana. O responsável foi o semanário Expresso, que lançou a melhor notícia de 1 de Abril, com um pequeno problema – ter saído com 15 dias de atraso. Dizia assim: Pinto da Costa internado no Hospital da Luz. Isto está de tal maneira que nós já acreditamos em tornados em Santarém e em malta que se atira para cima da tocha olímpica. Agora, Pinto da Costa a receber tratamento na Luz? É mais improvável do que ir ver o Corrupção ao Alvaláxia. O site do semanário dizia que Pinto da Costa tinha dado entrada à hora de almoço no hospital, com suspeitas de enfarte, e que tinha saído pouco depois. Outra coisa muito provável: ser atendido em menos de dez minutos… Pinto da Costa, que à hora do suposto enfarte estava a enfardar leitão na Mealhada (trabalhando para um AVC como deve ser – verdadeiro), apressou-se a desmentir a notícia. Dizendo: “Na verdade, estava a caminho das urgências quando passei pela morgue e vi que lá estava grande parte do Benfica. Aí melhorei e vim embora”. Quem viu a 1ª parte do derby lisboeta, com Rui Costa e Nuno Gomes a marcarem, podia pensar que estávamos perante O Regresso dos Mortos Vivos. Mas rapidamente o Benfica sucumbiu de vez. É normal, quem já viu filmes de zombies sabe que eles nunca fazem aparições em casas-de-banho. Mesmo que sejam gigantes e revestidas com azulejos às cores. No meio disto, a única certeza que temos é que Pinto da Costa ainda há-de discursar no seu próprio funeral. Vai mandar calar o padre, e levantar-se do caixão, só para dizer uma ou duas verdades à Leonor Pinhão, à classe jornalística em geral e a 6 milhões de portugueses em particular.

20
Abr08

Hoje Deviam Fazer Anos

condutoras de domingo
Hoje devia fazer anos Sérgio de Jesus Gonçalves da Silva. O que leva à pergunta: quem raio é Sérgio Jesus Gonçalves da Silva? Bem, além de ser um belíssimo repositório dos mais típicos apelidos lusitanos, é também um digno representante dos emigrantes e dos homens do futebol. Sérgio surgiu esta semana, não se sabe de onde, qual Dom Sebastião em dia de nevoeiro. Para salvar heroicamente o Boavista. Tem 30 anos e foi apresentado como novo investidor dos axadrezados. Esta boa alma está disposta a dar 38 milhões de euros sem pedir nada em troca. A não ser um ou outro direito desportivo e o naming do Estádio. É uma autêntica carmelita descalça do futebol. Numa versão menos despojada e com mais gel no cabelo. Este senhor sabe exactamente de que é que o futebol português precisa, e está disposto a dá-lo. Precisamos desesperadamente de gente criativa, capaz de dar nomes originais aos offshores. Castleshore, chama-se assim a empresa de Sérgio Silva. Que comercializa... produtos. Ou serviços. Não se sabe bem, mas pouco importa. Interessa agora é organizar uma festa condigna para este homem. Com um grande banquete, muitos convidados – consta que os jogadores do Boavista têm tempo livre, e uma data de prendas. E porque merece ele tanto amor? Por vir salvar o clube da falência? Não. Porque sabemos como é duro o destino de qualquer emigrante que atinja o estrelato em Portugal. O último, depois de sair da fábrica de salsichas, lançou “A vida que eu escolhi”, viu-se perseguido por um clube de fãs de Arcozelo e teve um filho chamado Mickael. Só com muitas festas de aniversário é que uma pessoa aguenta um futuro tão cinzento. Parabéns, Sérgio!
20
Abr08

Estação de Serviço - Limpa Dentaduras

condutoras de domingo
Temos conhecido estações de serviço de norte a sul do país. E se são lindas! Há as mais contemporâneas, as mais barrocas, mais góticas… Mas têm alguns traços em comum. Como o mostrador de cassetes, a arca de gelados e a secção das pastilhas elásticas. Muitas delas têm até máquinas com escova de dentes e pasta, o que é útil, sim senhor, para quem tem dentes de verdade. Mas então, o que faz essa enorme fatia da população que usa dentadura, e que nem por isso abdica da também larga fatia de bolo de ananás, na área de serviço? Nisso ninguém pensa, não é? Mas depois também ninguém quer continuar viagem com a tia-avó, se ela entre o canino e o incisivo tiver fios de ananás pendurados. É por estas e por outras que ao pé da secção de revistas vai surgir em breve uma secção de “familiares usados”, onde as pessoas deixam os entes queridos com placas pouco higienizadas. Ora este é um flagelo de que ninguém fala, mas ao qual as condutoras de domingo não podiam ficar indiferentes. Por isso, trago hoje o Limpa-dentaduras electrónico, artigo que se vende na Dmail por 9.90€ e funciona com 2 pilhas não incluídas. Esta tecnologia de ponta permite limpar dentaduras em poucos minutos, recorrendo a um interruptor nunca antes visto – funciona posição ON e desliga-se na posição OFF. Os avanços da técnica não param de nos surpreender. Mas há mais. O folheto informativo diz-nos que isto é um Limpa-jóias electrónico, que trata de colares, brincos, anéis, ornamentos em ouro e prata. Isto leva-me a crer que pomos lá dentro uma prótese dentária vulgar, e saímos de lá com mais dentes de ouro que o malfeitor do Sozinho em Casa. É que este aparelho promete “conservar o aspecto brilhante e novo dos seus ornamentos preciosos”. E uma pessoa sente-se elogiada, de ouvir chamar aos seus dentes falsos “ornamentos preciosos”. Boa educação e cortesia nunca ficaram mal a ninguém. Por isso acho que os inventores desta geringonça têm tudo para suplantar os gigantes da área. Desde o Tide, que prometia um mero branco mais branco não há, até ao mítico Corega Tabs, que tem anúncios com malta esfusiante. Tudo isso fica a milhas de distância quando há quem compare uma velha dentadura a uma jóia valiosa. Claro que a implementação deste aparelho vai ser polémica, porque ameaça uma tradição ancestral portuguesa. A da dentadura exposta dentro dum copo de água, à refeição. Mas também já nos levaram os touros de morte e proibiram a mioleira, viveremos bem sem ver boiar os restos de bolo alimentar do nosso avô.
20
Abr08

O Divórcio

condutoras de domingo

Depois de as Finanças tentarem apertar as malhas ao casamento, foi esta semana aprovada, pela esquerda parlamentar, a lei do divórcio. O Fisco, cuja dentada dói mais que a do maxilar de um pittbull, não larga o osso! É que às vezes, quem não faz uma boda faustosa, não olha a despesas para, mais tarde, comemorar o dia do divórcio.  A principal novidade do diploma é acabar com o divórcio litigioso e estipular o "divórcio por ruptura". Esta alteração veio tranquilizar as mulheres dos jogadores de futebol, a quem basta, de agora em diante, invocar a rotura de ligamentos do cônjuge para fundamentar o seu pedido. E se a lei tivesse saído há mais tempo ainda acudia a Karen Ribeiro, que, olhando à garrafeira, se poderia então divorciar de Mário Jardel alegando ruptura de stock. Mas o debate na Assembleia não foi pacífico. E o diploma que foi agora aprovado não reflecte todos os contributos e reflexões daqueles que se debruçaram sobre esta questão. Para reparar essa injustiça, as condutoras recuperam agora alguns desses contributos, que vieram das mais diferentes áreas. O cantor Toy, por exemplo, entende que o facto de se estar «estupidamente apaixonado» devia ter sido levado em consideração para agilizar o divórcio. No sector do desporto, Chalana opôs-se ao facto de a nova lei não contemplar já a noção de culpa, uma vez que pretende continuar a culpar os árbitros pelo divórcio entre os adeptos e o Benfica. Do jet-set, Maria das Dores – que no seu caso pessoal tudo fez para evitar o divórcio – queria introduzir, no diploma, uma outra figura jurídica – a marreta das obras.

20
Abr08

Horóscopo - Água

condutoras de domingo
Esta semana, os astros dedicam-se a um problema de saúde pública, aconselhando quem mais tem sido afectado por ele: os bebedores de água. Se você é daqueles que não sai de casa sem a garrafinha, que treme de satisfação assim que avista o rótulo de uma Fastio ou de uma Luso, que não passa uma semana sem contactar os serviços de entrega ao domicílio dos supermercados, esses grandes dealers de garrafas de água, que tem como imagem do Paraíso uma nascente, este horóscopo é para si. O excesso de água mata e anda a causar cada vez mais vítimas. Seja moderado; substitua a água à refeição por copos de vinho tinto aliados a uma comida pesada, daquelas com muita substância e pouco líquido. Seja qual for a ocasião, a sua vida agradece. Andará mais bem disposto e terá sonos mais tranquilos. Sobretudo se ao lanche optar por um litro de coca-cola e um café, hábito que irá permitir que aumente a sua produtividade da parte da tarde. Ainda no campo profissional, tenha sempre na mesa do escritório um litro de vodka. Como é transparente, vai dar-lhe a ilusão de estar a satisfazer a sua necessidade de água. No amor, faça amizades no ginásio, incluindo as coloridas, desde que saiba distinguir os verdadeiros atletas daqueles que, tal como você, estão ali apenas para suar as estopinhas, livrando-se de toda a água do organismo. Lembre-se de que por detrás de um atleta de alta competição escondem-se sempre 2,5 litros de água, na melhor das hipóteses. E isso tem o poder de arruinar qualquer programa dos aguólicos anónimos. Mesmo o que já estão na fase conta-gotas. Conselho final dos astros para os bebedores de água: afastem-se dos jardins públicos, onde os bebedouros se multiplicam como cogumelos. E evitem também as más companhias, aqueles amigos excêntricos que não passam uma manhã sem «uma bica e um copo de água».
20
Abr08

Choque Frontal - Berlusconi

condutoras de domingo
Sabemos que uma saga cinematográfica está a chegar às ruas da amargura quando começa a ter demasiadas sequelas. E isto é especialmente verdade se estivermos a pensar nos filmes de terror. O primeiro Pesadelo Em Elm Street ou Carnificina no Orfanato podem não ser obras primas, mas é certo e sabido que o capítulo quatro ou oito e quinze ainda são piores. Até apostamos como um segundo crime da Maria das Dores não seria tão bom como o primeiro.
É mais ou menos isso que acontece com os regressos dos políticos: vai-se perdendo a pica. É a terceira vez que Sílvio Berlusconi assume o comando de Itália. Berlusconi é um homem polémico que é por vezes comparado com Santana Lopes. Parece-nos injusto – Berlusconi pode falar da sua vida sexual e usar mais botox do que a Cinha Jardim, mas nunca fingiu desistir da política por causa de um programa apresentado por João Baião. Para algumas pessoas, é difícil perceber porque raio votam ainda os italianos em Berlusconi. Será o queijo de búfala a subir-lhes à cabeça? Será o desespero por não terem Cicciolina como candidata? Será que é porque o Marco Bellini é que sabe? A nós parece-nos que a causa é outra: Berlusconi agrada aos italianos porque é o mais parecido que eles têm com uma rock star. Há que lembrar que são o país de Laura Pausini e Eros Ramazotti – se querem um Mick Jagger, Berlusconi é a única hipótese. Berlusconi já delimitou as suas prioridades para este mandato, entre elas resolver a crise do lixo de Nápoles e tratar daquilo que apelida de “exército do mal dos imigrantes”. Será que isto quer dizer que ele vai usar o lixo para o atirar à cabeça dos estrangeiros e os escorraçar? Era uma maneira de resolver logo os dois problemas. Parece que já estamos a ver Berlusconi, em plena fronteira, a atirar latas de feijão e cascas de banana a quem tenta entrar em Itália.
20
Abr08

Condução Defensiva - Vila Faia

condutoras de domingo

Apertem os cintos e entrem numa condução defensiva à caça-fantasmas. É verdade: hoje vamos caçar um fantasma - uma alma penada que marcou os anos 80; depois, durante 20 anos, andou adormecida nas nossas memórias, feliz pelas recordações que originou; agora, resolveu acabar com a distância a que se costumam manter as leves memórias e regressou em força. Em força é como quem diz porque este pobre fantasminha bem quer assumir os múltiplos formatos que o século XXI proporciona, mas não tem sido fácil. Primeiro, arrastando uma corrente ferrujenta, o fantasma quis retomar a sua antiga vida, sob a forma de êxito televisivo. A coisa correu mal; aliás: a coisa começou por correr mal, está a correr mal e parece que vai continuar a correr mal. Por isso, perante um insucesso, o que fazer? Mandar o fantasminha de volta para o céu estrelado das nossas memórias? Não! O truque é insistir, escarafunchar bem no insucesso, dando-lhe novas asas, daquelas que parece que dão para voar e, todavia, apenas ajudam a que a queda seja mais a pique. Para acabar com o suspense, que mais parece saído do argumento de um regresso dos mortos vivos, versão série Z, vou identificar o fantasma: Vila Faia, a própria, a mesma. E a outra também, a do remake. Vila Faia, a novela que víamos sentados no chão em frente ao sofá do avô, de mãos dadas com a família, em plena comunhão televisiva. Vila Faia vai agora ser transformada em livro. Como se não bastasse a RTP ter atirado a história para um horário pouco dado a êxitos. Soube disso (eu e as outras condutoras) através de uma notícia de jornal que desapareceu sem deixar rasto no mundo da informação portuguesa. Procurámos, procurámos e não descobrimos mais nada a não ser que em breve haverá livro. Ou talvez não. Se calhar, o fantasminha, tão desprezado que tem sido na versão remake televisivo, vai revoltar-se, recusando ser livro. No fundo, já sabe que o esperam as prateleiras inalcançáveis das grandes superfícies. Depois disso, o abate, uma espécie de segunda via do passaporte para o universo dos mortos; desta feita, sem a possibilidade de deixar boas recordações. É por isso que recomendo, esperando ainda ir a tempo, a quem teve a ideia de transformar Vila Faia em livro, que pare! Aposte antes no material escolar ou, melhor, numa caderneta parecida com a do Roque Santeiro, aquela onde se podiam colar as cabecinhas das personagens. Será certamente um sucesso capaz de acender a polémica e de justificar um prós e contras dedicado ao tema «Afinal, que cara deve ser atribuída a Godunha? A de Nicolau Breyner ou a de Albano Jerónimo?» E toda a gente sabe que só estes pequenos detalhes têm o poder de ressuscitar os mortos e fazer um grandes sucesso.

20
Abr08

Avelino Ferreira Torres

condutoras de domingo

Por muito que a TVI possa colorir os enredos das suas novelas – e não nos referimos apenas a rapariguinhas indianas com pintas na testa – a realidade, pelo menos em Portugal, está acima de qualquer ficção. A barra dos tribunais é um cenário que não se gasta e o protagonista foi desta vez – e uma vez mais – Avelino Ferreira Torres.
No início do seu julgamento, o ex-autarca da Câmara do Marco de Canaveses apresentou-se em grande estilo, com um currículo que fez sensação: corrupção, extorsão, abuso de poder e peculato. De resto, já se sabe que os processos estão para a Justiça Portuguesa, como as novelas estão para a rede Globo: ambos se arrastam interminavelmente.
Mas em matéria de novelas, o Brasil continua a levar a melhor sobre o nosso país, já que é para lá que fogem os nossos melhores artistas. Depois de Fátima Felgueiras, foi a vez de José Faria, o alegado testa-de-ferro dos negócios de Avelino e testemunha-chave deste processo. Muito embora com a viagem paga para não abrir o bico, o ex-motorista resolveu, ainda assim dar um «Alô Presidente!». Segundo consta, à chegada ao Brasil, José Faria levou um valente enxerto de porrada. Para comprovar a agressão, ainda exibiu a boca desdentada ao Correio da Manhã, acto que, por si só, também deveria configurar um crime. Mal chegue a Lisboa, José Faria «vai directo ao Ministério Público», pretendendo «acabar, de uma vez por todas, com esta novela». As condutoras aguardam por cenas dos próximos capítulos.

20
Abr08

Afinal havia A Outra

condutoras de domingo
Afinal havia “A outra”...É o que apetece dizer da nova telenovela da TVI escrita por alguém que ficou conhecido por ter ganho a “Visita da Cornélia” com a mãe Tareca: Tozé Martinho. Esta telenovela está repleta de coincidências em relação à novela da Globo “Duas Caras”. Vejamos. O tema central da telenovela “A outra” envolve uma mulher que se submete a uma mudança de rosto depois de ser atacada por um leão em Moçambique. O tema central da telenovela “Duas Caras” é um homem que se submete a uma cirurgia plástica para mudar de rosto depois de dar um golpe monetário numa jovem inocente. A outra semelhança é relativa a um casal de “Duas Caras” que são novos-ricos e querem pertencer ao jet-set. A mulher chama-se Maria Eva mas insiste em ser tratada por Eva e o marido é muito fogoso. “Na outra” também há um casal de novos-ricos que querem pertencer ao Jet-set, a mulher chama-se Lúcia mas quer que lhe chamem de Lulu e o marido é muito fogoso. Mas a coincidência mais flagrante é a de que a telenovela “Duas Caras” teve para se chamar “A outra”.
Confrontado com estas coincidências Tozé Martinho respondeu que “não sabia” e que a sua telenovela é completamente diferente porque são duas actrizes que fazem o mesmo papel, enquanto que na telenovela brasileira é o mesmo actor a fazer o antes e após a cirurgia plástica... Serem duas actrizes a fazer o mesmo papel faz logo a diferença! Havendo ou não coincidências as condutoras acham que aqui há esturro. Por algum motivo o Big Boss da TVI pediu a Tozé Martinho que refizesse o argumento da telenovela. Ou José Eduardo Moniz achou que o plágio de Tozé Martinho era descarado demais ou ficou desapontado por não ser uma telenovela com a Sofia Alves a fazer de três irmãs gémeas ceguinhas e tetraplégicas que foram separadas à nascença pelo pai alcoólico, e que entretanto, fugiu para a Argentina e fez uma mudança de sexo e que reaparece anos mais tarde como a quarta gémea desaparecida...

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D