Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

25
Mai08

De Encontro ao Pára-Brisas - Refeitórios

condutoras de domingo

O ministério da educação anda preocupado com o que os alunos comem na escola. Sim, já não vale a pena preocuparem-se com o resto. Livros de ponto e manuais escolares são já assunto fora de discussão, vamos agora concentrar-nos nos menus. Há cada vez mais alunos obesos, e cada vez mais entendidos do ministério a querer travar esta tendência. Mas a roda dos alimentos já não convence ninguém, toda a gente sabe os únicos círculos alimentares que interessam aos miúdos são os maltesers e os tazos que saem nas batatas fritas. Portugal devia seguir o exemplo doutros países europeus. Por exemplo, em Inglaterra, a qualidade da comida servida nas escolas entrou nos programas eleitorais dos candidatos a primeiro-ministro, e foram proibidos chocolates e refrigerantes com gás. Ainda bem que Sócrates não se lembrou de fazer isto por cá. O mais certo era, poucas semanas depois, ser apanhado a saborear um kinder bueno e a beber uma 7up, no pátio da sua escola secundária. Alegando que não sabia que a lei se aplicava a comida com nomes estrangeiros. Na Finlândia é costume os jornais publicarem a ementa que vai ser servida nas escolas, para os pais estarem a par da sua composição. Havia de ser giro cá. A mesma ementa, no 24 Horas surgiria como “Escândalo! Miúdos comem bacalhau com batatas na segunda e red fish na quarta-feira”, enquanto que o Público daria certamente mais destaque ao acompanhamento “Tubérculo é rei e senhor na corrente ementa”, diriam eles. Mas a medida que eu mais gostava de ver aplicada cá é a da Noruega. Os alunos levam comida de casa, geralmente sandwiches, o intervalo para almoço dura meia-hora e os estudantes não saem da sala de aula. Isto para além de não ser bom para a nutrição de ninguém – porque o mais certo era os miúdos levarem de casa umas sandes de cozido à portuguesa, também ia aumentar em muito o risco corrido pelos professores. É que estar com eles dentro duma sala a tentar dar aula já é perigoso. Imaginem dentro duma sala de refeições. A luta de comida seria o mais pequeno dos perigos. Aposto que se iam multiplicar no YouTube vídeos com miúdas histéricas gritando “dá-me a minha sande de torresmos já!”, enquanto outros coleguinhas batiam com pernas de frango e bifanas na professora. Enquanto estas medidas não são tomadas, as cantinas das escolas continuam mais parecidas com casas mortuárias. Não estou a insinuar que estejam lá congeladas coisas fora de prazo. Simplesmente são verdadeiros templos de silêncio e contemplação. Porque os alunos conhecem melhor a empregada do McDonalds do que a D. Neuza do refeitório. E vão ficar decerto felizes de saber que o McDonalds planeia lançar em breve o McTuga, ou seja, hamburguers de acordo com o gosto lusitano. Depois das famosas sopas, tememos que surja agora um McJaquinzinhoNuggets ou um Big Mac Bacalhau. A ver vamos…

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D