Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

18
Mai08

Agarrado ao Pára-Choques - Blade Runner

condutoras de domingo

Blade Runner está em exibição. É uma nova versão, remasterizada digitalmente, uma obra-prima da sétima arte que, no entanto, podia ser melhor se seguisse a sinopse que proponho. Caro Ridley Scott, espero que me estejas a ouvir. A realização seria das Condutoras de Domingo, mas consentiríamos numa participação especial. Sobretudo se aceitasses como intérpretes Povo Português, no papel de Blade Runner; Manuela Ferreira Leite, António Neto da Silva, Mário Patinha Antão, Pedro Passos Coelho e Pedro Santana Lopes como “replicants”. A história rezaria assim: Povo português vagueia pela caótica selva lisboeta do século XXI. É um blade runner, um agente que persegue criaturas genetica e politicamente transformadas em candidatos à presidência do PSD, difíceis de distinguir dos humanos por serem feitas à sua imagem e medida. Missão: eliminá-los. Crime cometido: vários, dos mais temidos por gerações de Povos Portugueses, passando por promessas incumpridas, tempo de antena em excesso, desorientação estética, ambição desmedida, asneirame político e feiura.

 

 

 

Ao longo da sangrenta perseguição a estes seres que se tornaram ilegais à luz dos bons costumes terrestres, o semi-aposentado Povo Português fica definitivamente sem emprego. Mas nem isso acarreta o incumprimento da missão. Os “replicants” Ferreira Leite, Neto da Silva, Patinha Antão, Passos Coelho e Santana Lopes encarregam-se da sua própria auto-destruição. Revoltados uns contra os outros, canalizam os seus dotes poderosos, as suas ideias espectaculares, os seus slogans arrebatadores, o seu repúdio por coligações pré-eleitorais para uma batalha interna. Os sons dos galhardetes e da roupa suja a bater nos tanques do passado, semelhantes a rajadas de metralhadores, assolam Lisboa, esburacam o partido “replicant” social democrata e lançam o caos nas suas sedes. Descansado, e no entanto pressentindo o fim, Povo Português deixa-se estar sentado a assistir a esta calamidade sem par no universo da ficção científico-política nacional. Sente-se orgulhoso por nada ter feito e mesmo assim o espectáculo acontecer. O extermínio é total. A versão que agora apresento tem em comum com a que está nos cinemas a omissão da narração do protagonista. Separa-as o facto de eu não ter conseguido encontrar nesta trama um fio que desse para puxar para o romance. Santana Lopes e Ferreira Leite numa cena de “make up sex” pareceu-me vazio de sentido e sobretudo capaz de arrastar a película para as prateleiras dos filmes de terror. Por isso, o único final feliz possível é a certeza de que Povo Português conseguirá sempre sobreviver a manobras políticas e ainda ficar a rir-se. Aliás, a cena final podia ser uma gargalhada à escala planetária ouvida em off e acompanhada pelas imagens em câmara lenta do aniquilamento dos “replicants” social-democratas. E assim ficamos, aguardando ansiosamente um contacto de Hollywood.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D