Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

06
Abr08

Está a Falar de Quê? - Carolina Michaelis

condutoras de domingo
A professora não fala; a escola não fala; quem sobra? Os alunos. Que alunos? Os da turma mais famosa do país: o 9ºC da Carolina Michaëlis! O caso do telemóvel na aula aconteceu há quase um mês e continua a encher jornais. Sobretudo neste pós-Páscoa, momento em que o 9ºC voltou ao liceu, de mochila às costas e acusações na ponta da língua. Se você é dos que perdeu o artigo do Público que pôs em discurso directo o 9ºC, ouça com atenção o que se vai seguir. Os alunos deram corda à língua. Qual bando de comadres, fizeram-se primeiro difíceis, fizeram o número do «agora-não-não-há-nada-a-dizer»; depois, desmancharam-se que nem manteiga ao lume e queimaram-se com explicações eruditas. E passo a citar a mais explicada das alunas: «A stôra disse que podíamos usar o telemóvel sem perturbar. Alguns puseram-se a mandar mensagens, outros a ouvir música. Ela atendeu uma chamada. A professora não achou piada, avisou-a. Ela não quis saber e a stôra tirou o telemóvel. Ela levantou-se e pronto...» “Ela” é a célebre protagonista do vídeo do You Tube, miúda com potencial para brilhar no próximo Tarantino; quanto ao “e pronto”, julgo que remete para o que se vê no vídeo. E isso a autora destas declarações sintetiza de uma forma magistral, encolhendo os ombros: «A gente com aquela stôra abusa». E nós a pensarmos que o vídeo era apenas uma entusiástica manifestação de carinho para com a stôra, uma espécie de dança espiritual através da qual espalhavam boas energias pela aula. Afinal não. Segundo outro aluno, eles abusam com aquela stôra não porque ela fala francês, dificultando a comunicação e obrigando a que recorram à linguagem corporal, mas porque ela merece. Ou melhor, e passo a citar, «deve ser porque ela é muito boa dar aulas, deve». Gente que recorre assim à ironia não é tonta, não! Aliás, para a stôra de Francês, o que eles são é «selvagens, marginais, burros e ignorantes»; é isso que lhes chama e eles não gostam. Por isso, dizem que a marcaram, mas «olhem que este marcada é entre aspas», avisam. Ora, isto é gente que usa aspas, que recorre à ironia, que tem poder de síntese e que só não grama uma mulher amável ao ponto de permitir a utilização de telemóveis na aula, provavelmente para ver se com o contacto tecnológico consegue tornar os “selvagens” mais sofisticados. Porque, no fundo, o que estes miúdos têm é excesso de meios. Já lá vão os tempos em que o máximo que se conseguia de um stôr era a autorização para fazer exercícios de picotado. É claro que nesses tempos não havia telemóveis e as mensagens seguiam de mão em mão escritas num canto do caderno da Candy Candy. Pelo menos, os stôres só nos sacavam declarações de amor ou poemazecos para treinar o vernáculo com rismas em “alho”. Ainda assim éramos “xungas”, como a miúda que lutou para resgatar o seu telemóvel em angústia das mãos da malvada stôra. Valha-nos isso. É que nunca os alunos das gerações passadas conseguiram estrelar num vídeo do You Tube. E isso, sim, é bastante selvagem e perturbador. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D