Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condutoras de Domingo

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Elas em contramão, sempre a abrir, pelos acontecimentos da semana.

Condutoras de Domingo

23
Mar08

Estação de Serviço - Páscoa

condutoras de domingo
Mais do que uma paragem para abastecer, isto hoje é uma paragem para pensar. Estamos na Páscoa, período de reflexão mas sobretudo de confusão! A começar pela data. Nunca sabemos quando pode acontecer. Faz lembrar aqueles anúncios da Evax, com uma mulher sinistra que aparece com confetis, onde “menos esperamos”. Aqui passa-se mais a mesma coisa. Vamos a andar na rua e, de repente, é Páscoa. Basta que estejamos entre 22 de Março e 25 de Abril. Dizem que o Natal é quando um Homem quiser mas pelos vistos isto aplica-se muito mais à Páscoa. Apesar de impor a data, o Natal é muito mais democrático! Por exemplo, toda a gente come o que quer. Já na Páscoa, são precisos 40 dias de estágio, sem comer carne. Tenho para mim que essa história da Quaresma é uma manobra de marketing do Capitão Iglo. Conheço toda uma geração que passou Páscoas sem fim a comer douradinhos, a única coisa à altura de substituir um rosbife. Até na sobremesa a Páscoa sai a perder. Nem o pior bolo do Natal, o bolo-rei, é tão mau como o Folar. Nós achamos que leva tudo o que um doce não deve ter: frutas cristalizadas e favas. Mas o que é isso ao pé de ovos cozidos? Os ovos são outra confusão evidente da Páscoa. Para já, a mascote da época é um coelho, e não uma galinha. Seja quem for que inventou a Páscoa, Capitão Iglo ou não, tinha claras dificuldades em Biologia. Os coelhos são famosos reprodutores, mas pensar que põem ovos é tão inteligente como imaginar uma lebre com epidural. O bom das comemorações é o pretexto que nos dão para transformar tudo em chocolate. Até estranho como é que no S. Martinho não há castanhas de chocolate, e nos Santos Populares umas sardinhas praliné.

Os estudiosos dos Ovos da Páscoa não ficaram contentes com recheios banais. De avelã ou de caramelo. Quiseram recheá-los com bonecos de plástico. Até aqui tudo bem. O pior é que se entusiasmaram, foram deixando os ovos crescer, e hoje em dia é possível tirar de dentro dum Kinder Surpresa uma reprodução das Pirâmides de Gize, à escala real. Aqueles papelinhos com as instruções vão ser em breve substituídos por manuais em vários volumes, com noções básicas de Engenharia Civil. Outro sector em franca expansão é o das amêndoas e drageias. As de licor, aquelas em forma de bebé, têm aperfeiçoado tanto o traço que chega a ser assustador comê-las. Sentimo-nos tão culpados como o malfeitor que levou a Maddie. Depois há também a problemática das amêndoas de chocolate. Que vai servir de mote para a minha reflexão neste domingo Pascal. Podia pensar no advento da ressurreição mas o grande mistério da vida é este: porque é que se chamam amêndoas de chocolate se não têm amêndoa nenhuma?
 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

escreva-nos para

condutoras@programas.rdp.pt
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.

as condutoras

Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.

podcast

Ouça os programas aqui

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D