as condutoras
Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.
escreva-nos para
condutoras@programas.rdp.pt
podcast
Ouça os programas aqui
percursos recentes

Condutoras de Domingo

Ricardo Aibéo

No Auto-Rádio a 29 de Jun...

Sinais de Luzes - 29 de J...

Deviam Fazer Anos

Estação de Serviço - Pisc...

Heelarious

Choque Frontal - Vale e A...

Horóscopo - Gordos

Está a Falar de Quê? - Ma...

Tão Mau Que é Bom - Luís ...

De Encontro ao Pára-Brisa...

Touros

O Que é Nacional é Bonzin...

viagens antigas

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Terça-feira, 27 de Novembro de 2007
2 de Dezembro

No próximo domingo, dia 2, o pendura das Condutoras será Norberto Lobo, cujo disco de estreia se chama "Mudar de Bina". Vamos falar disso, e de muitas outras coisas, na habitual digressão pela actualidade. Como sempre, das 11:00h às 13:00h, na Antena 3.

 


tags:

publicado por condutoras de domingo às 16:05
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Domingo, 25 de Novembro de 2007
Sinais de Luzes - 25 Novembro

Máximos

Para Paulo Pereira Gomes. Não conhece o nome? Mas conhece de certeza o número de telefone. Estava numa faixa gigantesca no edifício invadido pelos agentes da PSP, na perseguição a um assaltante. Este vendedor da Remax protagonizou o golpe publicitário do século. Deixou para trás ícones como “4 e meia, hora coca-cola light” ou máximas como “o algodão não engana”, num abrir e fechar de olhos. Ou melhor, na abertura de todos os telejornais. Agora o balãozinho da Remax é mais conhecido que o símbolo da Nike ou a águia do Benfica. E tudo graças a Paulo Gomes, que iniciou a sua carreira no ramo imobiliário há apenas 4 anos e tem agora uma grande margem de progressão. Isto faz lembrar o futebol. Sobretudo aquela época em que Jardel perguntava na camisola interior se “será do guaraná?”. Paulo Pereira vem inaugurar uma nova forma de product placement, longe dos relvados. As cenas de crime! Já estamos a imaginar: aquela fita habitual da polícia pode passar a dizer coisas como “Um Bongo, o Bom Sabor da Selva” e os collants que os ladrões usam na cabeça podem ter, em letras garrafais “Lingerie La Perla”. Os patrocínios podem até alargar-se a outras modalidades de crime, além dos assaltos. Por exemplo, os raptos. As condutoras ainda acreditam que a Maddie vai aparecer. E como os seus pais estão sempre a par das últimas tendências, sabemos que já têm um plano de marketing em acção. Se for encontrada de boa saúde, a sua t-shirt dirá “é como encontrar um trevo na tromba de um elefante”. Se for encontrada debaixo da terra, o slogan só podia ser este: “McCann, batata de honra”.



Médios

Para a venezuelana Íris Varela, que ousou fazer aquilo com que todos sonhamos: interromper um programa de televisão para espancar o apresentador! É verdade. A única coisa que nos entristece é saber que isto nunca vai acontecer no nosso país. Esta deputada do partido de Hugo Chavez irrompeu pelo estúdio do Café com Azócar, acusando o jornalista Gustavo Azócar de difamação, enquanto o esbofeteava. Parece que ele falou da sua vida privada em público. Lá está, uma coisa que nunca acontece em Portugal! Aqui ninguém comenta a vida alheia. A Maya, a Florbela Queirós e a Valentina Torres fazem apenas observações pertinentes sobre temas da actualidade, que não incluem o trânsito nem o tempo. Nem notícias. Mas é só isso. Gustavo Azócar foi mais longe, denegriu a imagem da deputada com a publicação de um livro - “Histórias Negras de Dignitários Vermelhos: a Comandante Fosforito.” Também isto é uma miragem num país como o nosso. Pois nem Nuno Eiró e Cláudio Ramos juntos conseguiriam escrever uma frase com tantas palavras. A nossa derradeira esperança tinha 2 nomes: Odete Santos. A única deputada nacional a quem o adjectivo “vulcânica” assenta tão bem como a Íris Varela. Só que, além de Odete estar retirada, e mais dedicada a projectos como “Arre Potter que é Demais”, também não nos parece que nutra ódio suficiente por Goucha, ao ponto de lhe partir os óculos. Até porque isso arruinaria a toillete do homem, e se há coisa que Odete tem é sentido estético.

Mínimos

Para a Internet. A própria. Estudos recentes avisam que a sua capacidade poderá esgotar em 2010, devido ao excesso de conteúdos. Anda tudo muito preocupado com a pobre infraestrutura, que poderá não aguentar… Pois as Condutoras de Domingo querem mais é que a Internet rua, e fique reduzida a cinzas! É que ela até começou bem. Dava para ir a chats, fazer uns jogos no mIRC, procurar umas imagens no terravista, enviar uns mails através da Telepac… Era uma vida santa. Mais tarde ainda fizemos uns downloads de músicas com o Napster, até sermos todos postos em tribunal, mas era giro. Vivia-se em franca harmonia. O pior veio depois. A Internet começou a andar com más companhias e o resultado está à vista: comunidades que incentivam o suicídio colectivo, sites com dicas para auto-mutilação, blogues de apoio à anorexia, fóruns de extrema direita. Isto é um desvio comportamental gravíssimo. A Internet adoptou a banda larga, e com ela, a marginalidade. Chega a ser irónico abrir sites que nos pedem para assegurar que temos mais de 18 anos. A pergunta devia ser ao contrário! Só as crianças é que deviam ir à net. E aí sim, tudo seria como dantes! Sem a parte de ser dial up e termos de ficar com o telefone impedido durante 10h, de preferência. Não por nós claro, que não usaríamos, mas pelos nossos filhos! Para eles poderem enviar a declaração do IRS, fazer transferências inter-bancárias… essas coisas divertidas para os miúdos.




publicado por condutoras de domingo às 13:00
link do post | comentar | ver comentários (3) | adicionar aos favoritos

Cantinho da Adopção - Scolari
Vamos à boa acção da semana. O momento em que abrimos o nosso coração e nos dedicamos a ajudar o próximo. É nosso cantinho da solidariedade, onde, sempre que calha, adoptamos um bichano fofo e a precisar de mimo.
Hoje na nossa montra de exemplares para adopção temos… um Luiz Felipe Scolari. E é melhor sermos breves na descrição, antes que ele se chateie e vá embora. Este brasileiro é órfão de pai, mãe, irmãos e alguns primos, e é muito prendado. Ele sabe fazer um quindim de trás da orelha, sabe que pimbolim é matraquilhos… Ele até faz publicidade de graça! Depois de espalhar aos quatro ventos que é fã da caixa, ofereceu os seus serviços à Media Markt, inventando um novo slogan para eles. Em vez do habitual “Eu é que não sou parvo”, Scolari lançou um “Eu é que sou burro?” em plena conferência de imprensa.



É um bocadinho temperamental, este Luiz Felipe, mas é bom menino. Ele até protege ciganitos, intrometendo-se em rixas com malta de Leste! Quem o quiser adoptar, não se vai arrepender! Levam ali uma jóia rara. Tem apenas um pequeno handicap: não sabe treinar equipas de futebol. Apesar de já ter aprendido que talho é açouge e que até há entrecosto melhor que picanha, ainda não percebeu que jogo da selecção não é sinónimo de peladinha! Mas levem-no, levem-no e inscrevam-no numa turma do ensino especial. De preferência num país bem distante! Até porque Scolari é perito em fazer mais por países estrangeiros do que alguma vez fez pelo Brasil!


publicado por condutoras de domingo às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

Estação de Serviço - Caixões

Com uma viagem tão acidentada até aqui, o artigo da estação de serviço não podia vir mais a propósito: caixões. E não façam já essa cara do “ai, com coisas sérias não se brinca”. Esse argumento cai pela base porque os funerais podem ser coisas bem divertidas até. É tudo uma questão de atitude. E de agência funerária também. Se contactarmos a Agnus Dei é diversão garantida! Começa logo pelo cartão de visita destes senhoras: “Uma agência funerária de Cascais, conhecida pelas suas constantes inovações, é a única em Portugal e talvez na Europa a promover o golfe”.Hmmm… Golfe? E funerais? A única semelhança que encontro são as covas na terra. Mas felizmente, a não ser que haja uma chacina numa família numerosa, os funerais nunca contam com 18 buracos. De resto, não percebo como é que pode ser convidativo ir a um torneio de golf promovido por uma agência funerária. Sobretudo se tivermos em conta que os jogadores têm todos mais os pés para a cova do que para os greens! Deve ser mesmo essa a ideia da Agnus Dei: aproximar-se do público-alvo. Descobri entretanto que, para eles, estamos todos mais para lá do que para cá! Dizem assim no site: lembramos que hoje em dia todas as pessoas, ou 98%, são reformados”. Ai sim? Falem por vocês! Ok, aqui a maioria das condutoras já são quase aposentadas. Mas falta o quase! E eu estou longe disso, muito obrigada. Mas como sou uma pessoa precavida, já pensei nalgumas questões técnicas… As pessoas discutem sempre se querem ser ou não cremadas, se querem ser lançadas ao mar ou guardadas numa caixinha em cima da TV… isso para mim é igual ao litro. Aquilo que quero, exijo mesmo, é ser transportada pelo “Petraca”. É verdade! Também conhecido por Carlos Borges, é o colaborador do mês, reside em Matocheirinhos e é motorista. Veste sempre, tal como o resto da equipa, um fato clássico, “procurando o equilíbrio da imagem”. Eu quero ser conduzida por este homem até à minha última morada. E também quero muito que ele nessa altura tenha 150 anos, de preferência! O slogan da Agnus Dei é “a diferença conquista-se”, e eu comecei já hoje a fazer por isso. Porque desejo ardentemente (atenção que isto não tem nada a ver com cremação!) um funeral com serviço de café. Que até inclui bolachas belgas! E porque eles prometem carinho humano e profissional” e dizem que mandam a nossa casa, “a qualquer hora do dia ou da noite, um funcionário habilitado para, carinhosamente, ajudar na resolução de todos os problemas. É esta terminologia que dá cabo de mim! Adoro. Faz-me logo lembrar os “Ursinhos Carinhosos” e os “Pequenos Póneis”. Sobretudo se ignorarmos a presença dum cadáver aqui pelo meio.



publicado por condutoras de domingo às 12:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

Horóscopo - Violeta

Nunca um horóscopo foi tão difícil de traçar como o de Violeta, a mais inteligente das bonecas. Violeta é uma criação de contornos cósmicos da empresa Famosa e, apesar de se saber o país onde nasceu, não se sabe nem a hora, nem o dia. Por isso, o horóscopo da semana está limitado ao poder de adivinhação das cartas. Violeta é uma Sacerdotisa, o que significa que é possuidora de grande astúcia e inteligência. Mas é também um embuste, uma fraude. Não vale a pena negá-lo: Violeta, nos 365 dias do ano, sabe quando é a hora de comer, de dormir, de brincar, entende o que lhe é dito e responde dizendo o que pensa e sente. Porém, assume-se como uma menina pequena em forma de boneca, quando, na realidade, é mais autónoma do que um ser humano adulto, que apenas sabe exactamente o que quer 365 minutos por ano. Talvez esta faceta fraudulenta de Violeta tenha origem na sua boa orientação. Aconselha-se a que não tente superar os simples mortais. Apesar de Sacerdotisa, você depende das “mãezinhas” que a adoptarem. Lembre-se de que o seu relógio interno é contra a natureza humana. Ninguém quer acordar de manhã, deitar-se à noite e comer a horas certas. Seja menos intransigente com os humanos com quem convive. No amor, recomenda-se prudência. Tenha cuidado com as suas expressões carinhosas. Nas casas para onde irá morar, não sabe com que tipo de homem terá de conviver. “Surpreende-me, mãezinha” é um conjunto de palavreado de elevada perigosidade, sobretudo se apimentado pelo seu olhar lânguido situado algures entre o de uma inocente Barriguita e um tétrico Chucky em início de carreira. Por falar nisso, em termos profissionais, as cartas sugerem que nunca siga os caminhos do terror. Invista na pornografia, uma vez que já enveredou por aí. O preço que cobram por levá-la para casa, 150 euros, está acima da média ou não estivesse Violeta marcada pela Sacerdotisa. Conselho final para Violeta: ria-se menos para ter mais sucesso e saída comercial. Tenha ainda especial cuidado com os seus ouvidos e olhos. São os problemas de visão e audição que estão na origem da sua aparente falta de critério. Nem todos os humanos podem ser tratados por “mãezinha”.


publicado por condutoras de domingo às 12:12
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Godinho + Moutinho

Um grande livro, por acaso, foi o que foi editado esta semana. Chama-se “Futebol e Rock n’ Roll” e da autoria de Sérgio Godinho e João Moutinho. Bem... grande livro se calhar não é o termo mais feliz. Tratando-se de um livro que tem como base uma conversa durante um almoço, entre um músico e um futebolista, é capaz de o mais correcto ser mesmo... “livro mais pequeno do mundo”.



publicado por condutoras de domingo às 12:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

Condução Defensiva - Byblos

Portugal é um país pequeno, mas, tal como reza o ditado, só se sente atraído pelo seu oposto, ou seja, por tudo o que é GRANDE, EM GRANDE e À GRANDE. Depois da maior largada de touros, do maior pão com chouriço, do maior logótipo humano, do maior shopping - do universo, do mundo, da Europa, chegou a vez da Byblos, a maior livraria do país, uma livraria única no mundo pelas inovações tecnológicas de que dispõe. Os números relativos ao novo espaço são também do agrado dos portugueses: são muitos, soam a muito e remetem para realidades grandes, enormes, gigantes. Ora vejam: em 4 mil metros quadrados de área, divididos por 2 pisos com 25 tipos diferentes de iluminação e mais de 40 plasmas, foram investidos 4 milhões de euros para que estejam disponíveis 150 mil títulos. Se há por aí alguém que não esteja impressionado, ligue-nos, por favor, por ser daqueles para quem o tamanho não interessa, e isso interessa-nos. Isso interessa-nos não por gostarmos do Portugal dos Pequeninos, mas pela simples razão de o Portugal dos Gigantes ser o lugar onde se sentem em casa os megalómanos e não os visionários. Os megalómanos que acham que há espaço para mais shoppings na cidade onde existe um Colombo ou os megalómanos que acham que há espaço para um festival de cinema semelhante a Veneza ou Cannes num país onde não se faz cinema e as maiores celebridades são estrelas de reality show. Eu devo confessar que, não sendo megalómana (reparem que até costumo andar num carro de 3 portas com mais 3 ou 4 miúdas), fiquei feliz com a Byblos. Apesar de ter uma fonte a jorrar água num sítio onde os livros não se querem molhados, apesar de ser tão grande que muitos casais vão finalmente conseguir separar-se sem nunca mais se encontrarem, ali os livros estão arrumados em estantes inteligentes que não nos deixam perder o rasto ao que procuramos. Mesmo que todo este conforto proporcionado aos clientes seja interesseiro, isto é, seja motivado pela vontade de acabar com distracções e concentrar as atenções no que se vende, o que é certo é que vou livrar-me das horas passadas na escura Biblioteca Nacional. E isto é o MAIOR upgrade da minha qualidade de vida. Por isso, recomendo que, a partir de Dezembro, troquem o Colombo pela Byblos. Como se vão perder de certeza durante uma semana lá dentro pode ser que cheguem efectivamente a ler qualquer coisa. Como o MAIOR romance de sempre, por exemplo.



publicado por condutoras de domingo às 12:04
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Destravados - Mike Tyson

Esta semana vamos fazer a homenagem a este   epopeico destravado...mas com meiguice e à distância, que o amigo não é para brincadeiras. Falamos Mike Tyson, o único homem no planeta que ainda gosta mais de comer orelha do que a clientela da tasca do Barbas. O pugilista sopinha-de-massa foi condenado a 24 horas de prisão e 360 horas de trabalho comunitário por conduzir sobre a influência de drogas e ser apanhado com marijuana e cocaína. Esta história das figuras públicas agora serem sempre apanhadas em estados lastimáveis ao volante está, como já aqui dissemos, a maçar-nos. Alguém por favor que lhes arranje um passe social para esta malta passar a andar este de transportes públicos. Entre odores corporais, distribuidores de gratuitos e pedintes a dizer que “dormem en la calha”, ninguém ia dar por mais uma estrela com toda uma farmácia no sangue.

Posto isto, pedimos ao Mike Tyson que pusesse a jeito o seu melhor cuspo para fazer o teste da Destravadice. Mas o homem acabou por morder o teste e destruí-lo. Bom, deixa-nos cá pirar de mansinho antes que sobre para nós.




publicado por condutoras de domingo às 12:00
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Toy mais uma vez

E desde que Toy se divorciou de Tina - se bem se lembram por ter descoberto que ele era mesmo muito parecido com o anão da “Ilha da Fantasia” – que tudo aconteceu na vida do autor da mítica frase “olhos de água, não deixam de sentir”. Mudou de uma moradia luxuosa para um modesto apartamento que divide com um amigo; a ex-mulher roubou-lhe um carro topo de gama e 100 mil euros da conta; anda com raparigas mais novas do que a filha; tios e sobrinhos devem-lhe dinheiro… enfim, a vida de Toy anda um Inferno e como um azar nunca vem só agora apareceu a cereja no topo do bolo da desgraça: Toy tem um filho ilegítimo. Escândalo, horror, drama! Mas como é que Toy reage quando confrontado com esta notícia, que desculpa é que ele dá? Esta: foi apenas uma acção de solidariedade para ajudar a amiga Bety, uma cabeleireira do Bairro das Campinas no Porto.

Issooo! Toy está uma verdadeira Angelina Jolie à portuguesa, mas enquanto que a Angelina adopta filhos por solidariedade, o Toy consciente da demora que são os processos de adopção em Portugal, pura e simplesmente TEM filhos por solidariedade.


Mas, pior... e só para verem até onde vai a bondade deste homem: parece que o filho, embora seu, não é realmente seu. Portanto, é de outro.

Esse grande Horatio Cane em versão feminina, investigador da vida privada dos famosos portugueses, que é Fátima Lopes já teve oportunidade de perguntar a Toy se já tinha feito os testes de ADN... a que Toy respondeu que o filho não seria seu porque só tinha “acontecido” duas vezes com Bety…

As condutoras ficam muito mais descansadas…se tivessem sido três é que havia motivos para preocupações!



publicado por condutoras de domingo às 11:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

Iluminações

Esta semana não pudemos deixar de reparar no cómico – e irónico! – desta notícia: “um raio atingiu o Cristo Rei e desligou a iluminação de Natal do monumento”. Bem, se o Senhor lá nas alturas se dá ao trabalho de vir cá abaixo electrocutar o próprio filho, então, é porque até ele já percebeu que aquilo da luz azul é mesmo muito, mas muito, piroso. Pensem nisso. Já bem basta à Nossa Senhora de Fátima a humilhação de ser fluorescente




publicado por condutoras de domingo às 11:55
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Duo Dinâmico

Ao longo dos anos, muitas têm sido as duplas que nos têm marcado. Batman e Robin. Batatinha & Companhia. Leandro e Leonardo. E eis que chega agora a vez de um novo duo dinâmico dar mais cor à nossa existência: Rodrigo e Clara. Ele é um jornalista que também escreve uns livros (mas de sucesso mais modesto que o outro) e ela é aquela senhora simpática bate palmas a famílias em karaokes. Juntos entram no nosso lar todos os dias para um reformulado Jornal da Noite da SIC. O modelo, dizem, é inspirado nos noticiários anglo-saxónico. A nós parece-nos mais inspirado naqueles relatos mitológicos de confrontos entre titãs.

Ambos os apresentadores parecem estar em clara competição. Quem dispara mais depressa a última notícia sobre a Maddie? Quem se sai com a graçola mais espirituosa? Quem proporciona o menos forçado momento de cumplicidade entre pivots? Quem consegue resumir a crise israelo-árabe em dez segundos ou menos? Estamos menos a ver um noticiário e mais a ver uma espécie de Jogos Sem Fronteiras, repleto de provas para Rodrigo Guedes de Carvalho e Clara de Sousa ultrapassarem. Tamanha disputa só podia levar a pérolas linguísticas a condizer. E, nesse campeonato, o sarcasmo de Rodrigo é rei e senhor. Logo no primeiro dia deste novo formato, enquanto se levantava para ir ao videowall dar uma notícia sobre a Selecção Nacional, disparou: “Oh Clara, como o tema é futebol eu é que me tenho de levantar para dar a notícia, não é?!" Foi uma piadola. Nós sabemos. Ah ah ah. Ah. Pois mas foi também toda uma acha para essa fogueira chamada Guerra de Sexos. Ele tinha de se levantar porque o tema era futebol. Clara teria de abandonar a sua cadeira se a temática fosse puericultura, pensos higiénicos ou como tirar nódoas de chocolate de uma camisa de seda. Outro dia, outra voltinha. Depois de ter feito um resumo dos momentos mais polémicos da carreira de Hugo Chavez – que culminou com o famoso “porque no te calas?” – Rodrigo lançou um olhar matreiro à sua Clarinha e disse: “A ti não te mando calar. Pergunto-te antes: porque não hablamos com nuestra repórter?” E ainda dizem que a SIC não tem programas de humor em horário nobre!



publicado por condutoras de domingo às 11:50
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Choque Frontal - Assaltos

Esta semana foi pródiga em crimes e em… brincadeiras de criança. E é disso que venho falar-vos. Então não é que duas funcionárias da Caixa Geral de Depósitos resolveram brincar aos polícias e ladrões? Provavelmente já fartas de aturar o responsável dos depósitos a fazer de marido, sempre que brincavam aos pais e às mães, trocaram de brincadeira. Quiseram ser reféns por um dia, mas esqueceram-se dum pormenor: eram precisos assaltantes! Conseguiram montar um mega cerco policial: uma centena de agentes da autoridade à volta da dependência bancária de Vila do Conde, durante mais de 3h. A tensão aumentava a cada minuto, até que as patrulhas invadiram o banco, ao melhor estilo de Hollywood e… encontraram o quê? As 2 senhoras trancadas na casa-de-banho. Só. Não sabemos se estavam a reproduzir uma cena do L Word ou a fazer mais uma homenagem a Manuel Subtil. O que é certo é que estavam apavoradas, e diziam ter sido trancadas por dois temíveis ladrões. Acontece que os criminosos já não estavam no banco há horas! As Condutoras de Domingo já estão mesmo a ver o que se passou: dois clientes dirigiram-se ao balcão para saber informações sobre cheques pré-datados, tendo um deles sacado do telemóvel. Ora, todos devem estar recordados que Portugal é percursor nessa arte do “assalto à mão armada” com telemóvel. E estas senhoras não eram excepção. Vai daí, atiraram-se para o chão, havendo mesmo relatos de pessoas que iam a entrar no banco e recuaram depois de as verem estendidas no solo. Compreende-se. Só mesmo um cliente habitual é que se arriscava a lá entrar. Por calcular que fosse dia de jogar às escondidas, ou torneio de Twister. Mesmo que ouvissem “mãos ao ar” pensariam que era aquela parte do “mão esquerda no círculo azul”.




O mais provável é que os criminosos fossem também adeptos dos jogos didácticos, já que não roubaram nada de nada. Provavelmente aquilo para eles foi uma simulação do monopólio. Só não quiseram passar pela casa da prisão. As mulheres voltaram entretanto ao trabalho, e estão a receber apoio psicológico, por sofrerem de stress pós-traumático. Minhas amigas, não vão mesmo parar com as brincadeiras, pois não? Agora é aos médicos, o que se seguirá? Cabra cega, ou barra do lenço com as senhas do atendimento? Uma responsável do INEM veio dizer que: "Não é um caso de risco de vida”. Porque será que há sempre estes desmancha-prazeres? Que coisa! Sou só eu que me irrito com estas atitudes? Não! Ana Pereira, uma das populares que assistiu a tudo, também se queixou: “Fizeram este aparato todo e a gente acabou por não ver nada. Tanta polícia não sei para quê!”. É caso para dizer: “rebenta a bolha!”.



publicado por condutoras de domingo às 11:45
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Os Pássaros

Não é à toa que Hitchcock é considerado um génio. O homem esteve sempre um passo à frente e tentou há anos elucidar-nos: cuidado com os sacanas dos pássaros. Ninguém lhe deu a atenção devida e agora é o que se vê – um pássaro desengonçado está a pôr em risco a possível construção de um aeroporto em Alcochete. A criatura em questão tem nome digno de uma linha de merchandising, com direito a t-shirts, estojos e tatuagens temporárias. Decorem: MAÇARICO DE BICO DIREITO LIMOSA LIMOSA LIMOSA. Assim mesmo, com as repetições, tipo Butros Butros Gali. Parece que os maçaricos andam em bandos que chegam a ser de dezenas de milhar de exemplares e isso é coisa para albarroar um avião comercial. Mas porque raio é que se junta ali tanta passarada em Alcochete?, perguntam vocês. Para cuscar a Academia do Sporting e assobiar o Farnerud? Para ir aos saldos do outlet? A resposta é.... a passarada nem sequer passa por ali. Ou melhor, não se sabe se passa ou não. Pronto, é confuso mas nós explicamos. O maçarico de bico direito limosa limosa limosa é, como toda a gente sabe, uma ave migratória que passa o Inverno na África Ocidental, sendo avistada em Portugal apenas durante a sua migração pré-nupcial, na Primavera. Ou seja, de momento não estão cá. São como aqueles emigrantes que só cá vêm uma vez ao ano para as suas casas revestidas a azulejo e que passam dias sem fim a ouvir Tony Carreira, a comer frango assado na praia e a gritar com os putos que vão para a água a fazer a digestão. Logo, como o maçarico não está em Portugal os especialistas em pássaros não conseguem perceber se ele vai passar mesmo na zona do futuro aeroporto ou não. Mas pronto, pode acontecer. Assim como pode acontecer um meteorito destruir aquela zona toda, por exemplo. Há que ver todas as possibilidades. Perspicazes como sempre, as Condutoras de Domingo já têm solução à vista para este problema. Dizem os especialistas que os maçaricos de bico direito limosa limosa limosa procuram aquela zona por causa dos arrozais. Só temos, portanto, de lhes arranjar um ticket refeição para irem a um qualquer restaurante chinês da zona saciar a sua fome de arrozinho. Se isso não resultar, temos apenas três palavrinhas: campo de tiro. Então aquela zona de Alcochete não tem exactamente um campo de tiro? É substituir os pratos por maçaricos e a coisa resolve-se logo. A não ser, claro, que seja esse amante apaixonado da opção Ota que é José Sócrates quem está a espalhar passarada esquisita por esse Alcochete fora.



publicado por condutoras de domingo às 11:38
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Agarrado ao Pára-Choques - INEM

As condutoras de domingo andam pela estrada e não podiam ficar indiferentes à notícia de que há milhares de alertas falsos para o 112. Podíamos até aproveitar para mostrar como somos altruístas e preocupadas com o bem comum. É mentira. Esta é a rubrica mais egoísta de sempre - simplesmente pensámos: “e se for uma de nós a ter uma urgência?”. Aliás, foi o INEM que lançou a pergunta: “E se precisasse de uma ambulância e esta estivesse ocupada numa chamada falsa?". Eu diria que ficava lixada, mas a verdade é que se precisasse duma ambulância o mais provável era estar com pouca vontade de insultar alguém. Mas a campanha lançada pelo INEM está a centrar o problema nas pessoas erradas. Não interessam aqui as vítimas de acidentes e enfartes. Num estado muito mais grave que elas estão as pessoas que se lembram de ligar para o 112 para dizer umas piadas. E são mais de 60 por dia! Acho que já podemos falar numa patologia, que pode até inscrever-se na associação “Raríssimas”. Os sintomas mais comuns são: ausência total de sentido de humor e crises de ansiedade. Os indivíduos que sofrem desta disfunção são de tal forma inseguros que acham que as únicas pessoas que poderão achar-lhes graça são… enfermeiros do serviço nacional de saúde. Isto não passa, afinal, de um pedido de ajuda desesperado. Estas pessoas tiveram passados complicados, precisam duma palavra amiga. Entre os principais traumas contam-se: não terem sido muito aplaudidos no Levanta-te e Ri de Viseu, não terem conseguido ver os Extras do DVD António Sala – 40 anos de carreira, ou terem esgotado todas as anedotas sobre “cúmulos” que conhecem. E o mais assustador é que a população que sofre desta perturbação mental não é composta por crianças em idade escolar. Não. A grande maioria são adultos! Ora isto leva-nos a crer que às 4 da tarde, quando fecham os serviços administrativos de todo o país, há uma multidão de trabalhadores escondidos atrás da secretária, a ligar para o 112. Nós temos a solução para este problema: a criação do 113, uma linha de apoio aos humoristas falhados. Nesta linha, enquanto as chamadas estão em espera, podem ouvir-se excertos dos Malucos do Riso e aderir ao serviço de SMS do Fernando Rocha. E, o melhor de tudo: não vão obrigar nenhuma ambulância a sair ao engano. As únicas viaturas que terão o poder de accionar são: carros que anunciam o grandioso circo de Natal ou a Tourada de Montemor, e roullotes de churros e farturas. Porque isto vai de encontro às preferências destes – e vem aí trocadilho rebuscado – “Criativos Emergentes”!



publicado por condutoras de domingo às 11:29
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

SCP vs SLB

Bruno Silva é a mais recente vítima da guerra das escolinhas do futebol. Nem o Sporting, nem o Benfica abdicam do rapaz e o caso até já deu direito a uma conferência de imprensa de Luís Filipe Vieira, em que este dizia que era bom que toda a gente pusesse os olhos neste exemplo para que coisas destas não voltassem a acontecer. É bom mesmo, porque da maneira como as coisas estão, qualquer dia, basta um bebézito dar um pontapé mais certeiro dentro da barriga da mãe para ter logo um olheiro do Sporting ou do Benfica a pedir para assinar contrato.




E se assim for, até vai ser bom para os clubes. Em vez de gastarem pipas de massas a comprar terrenos que depois são da câmara ou a construir academias apalaçadas na Margem Sul, limitam-se a passar as escolinhas para uma barriga de aluguer. A Remax deve ter algumas.



publicado por condutoras de domingo às 11:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

O Que É Nacional É Bonzinho - Estrelinha

Mesmo que a notícia que se segue pareça extraída de um folhetim do insólito, a verdade é que pertence a um mundo bem próximo de nós, ali para as bandas da asseada Avenida de Roma, onde pelas ruas se cruzam pessoas, animais, plantas, Zeus e Estrelinha. Não, não me refiro a Zeus, o deus grego supremo, nem a Estrelinha, a personagem da novela da TVI; refiro-me a Zeus, o leão da Rodésia do “jet-seter” João Pedro Campos Henriques, e a Estrelinha, a caniche-anã de um seu vizinho. Zeus e Estrelinha encontraram-se e, numa enorme caturreira, Zeus devorou Estrelinha. Peço, por favor, aos argumentistas deste país que parem de tirar notas para o guião da próxima telenovela e façam um minuto de silêncio em homenagem a Estrelinha, a falecida caniche-anã. (SILÊNCIO breve) Agora que o minuto se passou, a história já pode ser partilhada com todos os que, como eu, sentem o coração pequenino como o de um caniche-anão. Ao que parece, Campos Henriques saiu de casa com Zeus pela trela; Zeus, como seria de esperar, até pelo facto de ter nome de deus que domina tempestades e trovões, rompeu a trela. Estava sem açaime e lançou-se em possante corrida rumo a um alvo do tamanho da sua pata. Era Estrelinha, a caniche-anã, que deve ter sentido uma emoção orgásmica ao ser abocanhada por Zeus. Valha-nos isso, a hipótese de ter morrido feliz. Já Campos Henriques nada fez; citando o dono do caniche, «não mexeu uma palha”. Justificou-se com uma doença cardíaca. Mas eu desconfio, e pensei tanto no assunto que até tenho uma tese para apresentar. Campos Henriques organiza festas, tem uma empresa de catering. Ao ver Zeus de Estrelinha na boca, deve ter percebido que ali estava, diante dele, uma original solução para a festa da semana - acepipes de caniche-anão! Nada de perninhas de rã ou peixe cru. Caniche-anão servido em baixelas do século XVIII. Por isso, faz todo o sentido que Zeus esteja registado como um labrador. São, de facto, cães parecidos, ideais para a caça. O que é que interessa se um se atira a patos mortos no meio de um monte alentejano e o outro se atira a caniches vivos numa praceta da Avenida de Roma?! Nada, e assim se percebe por que razão Campos Henriques não pediu desculpa à família de luto, a mesma que, enquanto se indignava e ia à polícia, se apressou a substituir Estrelinha por Pantufa, outra caniche-anã. A conselho da pediatra da filha pequena dos donos da falecida. Olhem que esta... Nem um médico revela respeito pelos mortos. Restamos nós. Descansa em paz, saudosa Estrelinha.



publicado por condutoras de domingo às 11:20
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

pesquisar neste blog
 
links
subscrever feeds
tags

todas as tags

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30
31


blogs SAPO