as condutoras
Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.
escreva-nos para
condutoras@programas.rdp.pt
podcast
Ouça os programas aqui
percursos recentes

Condutoras de Domingo

Ricardo Aibéo

No Auto-Rádio a 29 de Jun...

Sinais de Luzes - 29 de J...

Deviam Fazer Anos

Estação de Serviço - Pisc...

Heelarious

Choque Frontal - Vale e A...

Horóscopo - Gordos

Está a Falar de Quê? - Ma...

Tão Mau Que é Bom - Luís ...

De Encontro ao Pára-Brisa...

Touros

O Que é Nacional é Bonzin...

viagens antigas

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Domingo, 25 de Maio de 2008
Tão Mau Que é Bom - Saco Azul

Vieram a lume novos factos sobre o caso do Saco Azul de Fátima Felgueiras. Parece que finalmente estamos perto da verdade. Almeida Lopes, na condição de Juiz Conselheiro Jubilado, e de primo de Fátima Felgueiras, afirmou em tribunal que o processo “saco azul” resulta de uma vingança passional, porque os denunciantes – Joaquim Freitas e Horácio Costa, estavam apaixonados pela autarca. E mais: queriam manter relações sexuais com ela. Faz sentido: em vez de cometerem eles os crimes, como assédio no local de trabalho ou até violação, inventaram um crime para a acusar. Ao longo de duas horas, Almeida Lopes, relatou uma conversa que teve com Joaquim Freitas, numas férias em Mindelo. Segundo o magistrado, nessa altura “Joaquim Freitas abriu-se todo” – o que não é propriamente linguagem de juiz, mas é de primo. Ao que parece Joaquim Freitas disse que estava profundamente apaixonado por Fátima e pretendia ter relações íntimas com ela. E uma pessoa que diz isto é porque está de facto perdida de amores. “Sempre me cheirou que havia ali questões sentimentais, de sexualidade”, disse Almeida Lopes. Mais uma vez, falou o primo e não o juiz. E daí talvez não, porque ele invocou a sua condição de “especialista e seguidor de Freud”. Pelos vistos é também seguidor de Deus, já que contou como ajudava a autarca. Dizia-lhe: “cala, reza e sofre”. Que bela ajuda. Perante esta perspectiva também eu fugiria para o Brasil. Tendo em conta esta fulgurante carreira como sex symbol, o mais certo é que Fátima Felgueiras tenha ido para o Brasil a convite de um pretendente, lindo e famoso, que queria viver com ela e ser feliz para sempre numa cabana em Fortaleza. A arguida acabou por voltar a Portugal, provavelmente por ter recebido milhares de mensagens de fãs, exigindo o regresso. Infelizmente o juiz do seu processo não faz parte da legião de fãs, até porque não a deixou abordar até ao fim a “questão passional”. Fátima teve apenas tempo de contar que foi procurada pelo pai de Joaquim Freitas, que lhe pediu desculpa pelo comportamento do filho apaixonado, e de acusar o mesmo Joaquim de, nessa época, afogar mágoas de amor em tascas e cafés de Felgueiras. Acusação gravíssima que o colectivo de juízes não quis aprofundar. É o sistema de justiça que temos. A única certeza que fica no meio disto é que este caso devia ter deixado há muito de se chamar “Saco Azul” e passado a “Saco Rosa”.



publicado por condutoras de domingo às 12:12
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

pesquisar neste blog
 
links
subscrever feeds
tags

todas as tags

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30
31


blogs SAPO