as condutoras
Condutoras de Domingo é um programa da Antena 3. Um percurso semanal (e satírico) pelos principais assuntos da actualidade e pelo país contemporâneo.
Todos os domingos na Antena 3, entre as 11:00h e as 13:00h. Um programa de Raquel Bulha e Maria João Cruz, com Inês Fonseca Santos, Carla Lima e Joana Marques.
escreva-nos para
condutoras@programas.rdp.pt
podcast
Ouça os programas aqui
percursos recentes

Condutoras de Domingo

Ricardo Aibéo

No Auto-Rádio a 29 de Jun...

Sinais de Luzes - 29 de J...

Deviam Fazer Anos

Estação de Serviço - Pisc...

Heelarious

Choque Frontal - Vale e A...

Horóscopo - Gordos

Está a Falar de Quê? - Ma...

Tão Mau Que é Bom - Luís ...

De Encontro ao Pára-Brisa...

Touros

O Que é Nacional é Bonzin...

viagens antigas

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Domingo, 11 de Maio de 2008
Sinais de Luzes - 11 de Maio

Mínimos

Para seis mil gerentes. Sim, estamos umas mãos largas, e além do mais estes senhores merecem. São uns autênticos Robin dos Bosques, mas na versão 2.0 – ainda mais altruístas. Eles não roubam aos pobres, eles roubam a si próprios! Apesar de serem os chefes, e de arcarem com todas as responsabilidades, são quem ganha menos nas empresas. Todos eles declaram o salário mínimo. Já estamos a imaginar os seus gabinetes – sem janelas, com um banquinho de madeira e uma mesa de jardim. Em vez de computador usam com certeza blocos de papel Âmbar e canetas azuis. Esferográficas, que as de tinta permanente são um luxo impensável. Pelo contrário, os trabalhadores que empregam, vestem os melhores fatos Armani, trabalham em modernos armazéns com paredes em vidro e ar condicionado, e de vez em quando até dão uma ajudinha aos patrões, para eles conseguirem dar de comer à família e pagar a segurança social. Não podíamos, por isso, deixar de homenagear aqui estes heróis. Umas verdadeiras carmelitas descalças do mundo empresarial. Isto são homens que compram gravatas na H&M e levam comida de casa, num termos, só para não baixarem o salário dos seus empregados. São homens que passam as férias em Sesimbra e dizem aos seus filhos – Salvador, Sebastião e Bernardo Maria – que um dia, se tudo correr bem, ainda hão-de ir ao Algarve. São homens que pedem às esposas sacrifícios enormes – como deixar de ir à Isabel Queirós do Vale e não comprar mais vestidos ao Augustus, só para conseguirem manter de pé as suas empresas. E depois ainda vêm os jornais desconfiar deles. Que raio de país é o nosso?

 

 

 

Médios

Para Carolina Salgado e Margarida Vila-Nova. Que, temos agora a certeza, são uma e a mesma pessoa. Nós já as confundíamos há muito tempo. Não sabíamos bem se tinha sido Margarida a andar com Pinto da Costa ou Carolina com aquele que andava sempre em tronco nu nos Morangos com Açúcar. Também nas prateleiras das livrarias ficávamos baralhadas. Era “Eu, Margarida” ou “Carolina na Austrália”? Nunca sabíamos. Mais tarde, confusão no tribunal. Não sabíamos se era o ex-marido de Carolina a ser acusado de corrupção ou o actual namorado de Margarida a ser acusado de fumar haxixe no Dubai. As nossas desconfianças tinham razão de ser, e isso ficou provado esta semana em todos os jornais. Carolina e Margarida estão ambas grávidas. E ambas de dois meses. Portanto, é bom que Francisco Rola (célebre por ser dono duma estalagem em Cabeço de Vide) e Ivo Ferreira (célebre por ter realizado esse blockbuster de nome “Em Volta”) tirem o cavalinho da chuva. Não há lugar à famosa pergunta - “o filho é meu?”. É claro que não! O filho é de Nicolau Breyner! Que agora sim, se meteu no chamado “Nico d’Obra”. Carolina Salgado já está a escrever o seu novo livro, que ao contrário do que era esperado não se passa num tribunal mas sim na maternidade, e deverá ter o título “Filho de duas mães”. Já Margarida Vila-Nova, encomendou as alianças para o casamento a Gil de Sousa. Esperamos é que se tenha lembrado de encomendar três!

 

 

Máximos

Para o Banco Espírito Santo. Que, decididamente, não sabe escolher os oradores das suas conferências tão bem como as caras das suas campanhas publicitárias. Se fossem inteligentes, tinham posto Cristiano Ronaldo a falar sobre Desenvolvimento Sustentável. Ele falaria com certeza em muitas horas de ginásio, e o mais polémico que poderia sair da sua boca seria qualquer coisa sobre piscinas e jacuzzis. Mas o BES decidiu prescindir do “Génio da Bola” e convidar oradores que não lhes concederam três desejos. Pelo contrário, disseram o que lhes ia na real gana. Bob Geldof é a pessoa de quem se fala. Afirmou que Angola é um país gerido por criminosos. O Banco de Ricardo Salgado demarcou-se o mais depressa que pôde, considerando as afirmações injuriosas. Já o Jornal de Angola chamou a Bob Geldof “comediante de quinta categoria” e “farsante”, insinuando que devia estar bêbado quando proferiu os seus vómitos. O músico afirmou que as casas mais ricas do mundo estão na Baía de Luanda, o jornal angolano ripostou: Geldof não sabe sequer onde fica Luanda e muito menos Angola” – porque na Baía de Luanda não há casas. Acrescentando que o máximo que ele fez foi mandar uns bagos de jinguba para África. Estes senhores têm muita razão. Aliás, apostamos que eles, à semelhança dos nossos seis mil gestores, também recebem o salário mínimo. Tudo pelo bem do seu povo, que como se vê vive no meio de luxos e ostentação. Deixamos um conselho final para o BES – quando organizarem a próxima conferência, convidem Jaime Gama. Ele tem uns discursos standard muito agradáveis sobre regimes ditatoriais. Vai despachar a coisa num instante e passar ao que interessa: os canapés. E mesmo que estes tenham produtos fora de prazo, ele vai elogiá-los e chamar-lhes “alta cozinha”.

 



publicado por condutoras de domingo às 13:01
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

pesquisar neste blog
 
links
subscrever feeds
tags

todas as tags

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30
31


blogs SAPO